Empresários e representantes do Legislativo e Executivo estadual participam de feira internacional na França

Fonte: Assessoria

Cipem Franca 2

Comitiva empresarial mato-grossense que representa 523 indústrias associadas ao Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira de Mato Grosso (Cipem) divulga produtos madeireiros de 46 espécies arbóreas nativas durante a Feira Carrefour International du Bois. A edição de 2024 está sendo realizada no Exponantes Park, em Nantes, na França, até amanhã, 30.

Na abertura do evento, nessa terça-feira, 28, estiveram presentes o presidente do Cipem, Ednei Blasius, o presidente do Fórum Nacional das Atividades de Base Florestal (FNBF), Frank Rogieri, o vice-governador de Mato Grosso, Otaviano Pivetta, o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, César Miranda, a secretária estadual de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti, o presidente do Sistema Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt), Sílvio Rangel e a deputada estadual Janaína Riva (MDB).

Aproximadamente 670 expositores de diferentes países apresentam produtos e soluções para os setores da construção, moveleiro e outros grupos de interesse no tema. A feira bienal atrai profissionais de diversos segmentos relacionados à madeira, incluindo indústrias de processamento de madeira, fabricantes de máquinas e ferramentas, design de interiores, decoração, móveis e iluminação. O evento é uma plataforma essencial para descobrir inovações, estabelecer parcerias comerciais e acompanhar as tendências do mercado.

Blasius destaca os diferenciais dos produtos florestais de Mato Grosso que estão sendo demonstrados na Feira Carrefour International du Bois, em um espaço exclusivo reservado ao Cipem, um estande totalmente estruturado em madeira nativa mato-grossense. “Nossos produtos atendem a rigorosos critérios de rastreabilidade, qualidade e diversidade de espécies, com volume de produção suficiente para suprir a demanda de consumidores nacionais e internacionais”, destaca.

“Mato Grosso tem 5,025 milhões de hectares de florestas manejadas e conservadas. Produz 7 milhões de metros cúbicos (m3) de madeira a partir de Planos de Manejo Florestal Sustentável (PMFS) e recolheu R$ 66 milhões em impostos (em 2022). É um setor importante para economia estadual, sendo o principal gerador de receita em vários municípios, além de ter um sistema de rastreamento da produção florestal (Sisflora 2.0) que é o mais eficiente do mundo, garantindo a procedência e legalidade dos produtos mato-grossenses”, conclui Blasius.

“Somos o único estado brasileiro com 100% da cadeia produtiva rastreada. Somos hoje um modelo para outros estados brasileiros”, afirma a secretária estadual de Meio Ambiente. “É um setor econômico que está dando exemplo para o Brasil e para o mundo e com essa união que busca resultados para resolver questões importantes e facilitar a vida do empreendedor”, complementa o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico.

Para o vice-governador de Mato Grosso, o mercado global adquire madeira mato-grossense por reconhecer sua procedência, qualidade e sustentabilidade, assegurada com planos de manejo florestal (PMF). “É importante o governo entender o que está acontecendo e onde o Estado pode facilitar a vida desse empresariado, para fazer do setor madeireiro um setor cada vez mais importante. Afinal, a conservação da floresta (por meio de planos de manejo florestal sustentável) é sequestro de carbono, sustentabilidade e melhoria de vida para todo mundo”, finaliza Pivetta.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O presidente do Sistema Fiemt reforçou o apoio ao setor de base florestal de Mato Grosso. “É um setor importante para nossa economia, gerando emprego e renda”, sintetizou. “Que possamos cada vez mais vender os produtos brasileiros com esse selo de sustentabilidade, demonstrando a viabilidade como outros países fazem, com muita responsabilidade”, concluiu Riva.

É formado em Jornalismo. Possui experiência em produção textual e, atualmente, dedica-se à redação do CenárioMT produzindo conteúdo sobre política, economia e esporte regional.