37.3 C
Lucas do Rio Verde
quarta-feira, 22 setembro, 2021
InícioMATO GROSSOCUIABÁDeputado vai pedir suspensão de lei que proíbe pesca no Rio Cuiabá

Deputado vai pedir suspensão de lei que proíbe pesca no Rio Cuiabá

Por CENÁRIOMT

O deputado estadual Wilson Santos (PSDB) informou na segunda-feira (23) que vai requerer a Assembleia Legislativa que suspenda provisoriamente a Lei nº 11.486/2021 que proíbe a pesca e comercialização de peixes extraídos do Rio Cuiabá.

 “A lei vai produzir efeitos a partir de 29 de agosto. Vou propor às lideranças partidárias que suspendam por 90 ou 180 dias até que possamos chegar a um consenso a respeito deste tema. Os pescadores mais pobres não poderão ser sacrificados”, declarou.

A decisão do parlamentar foi tomada após uma audiência publica que durou pouco mais de três horas e uniu associações, pescadores, empresários e estudiosos do meio ambiente.

A presidente da Associação do Segmento da Pesca do Estado de Mato Grosso (ASP-MT), Nilma Silva, revelou que planeja ingressar até com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) no Tribunal de Justiça para questionar o inteiro teor da Lei 11.486/2021.

 “É notório que ao cercear o direito da pesca está se afetando a dignidade humana de muitas famílias que têm nessa prática o seu sustento. Já estamos avaliando com a equipe jurídica da associação a viabilidade disso”, revelou.

Ainda participaram da audiência pública os deputados Carlos Avalone (PSDB), Allan Kardec, Elizeu Nascimento e Gilberto Cattani, estes últimos ambos do PSL.

PCHs são mais graves, diz estudioso

O professor aposentado da UFMT (Universidade Federal de Mato Grosso), biólogo, ecólogo e ictiólogo (especialista em peixes) Francisco de Arruda Machado, popularmente conhecido como ‘Professor Chico Peixe’, avalia que a proibição da pesca no Rio Cuiabá produz efeito mínimo de preservação ambiental, uma vez que, o maior dano é causado por grandes empreendimentos como a construção de PCHs (Pequenas Centrais Hidrelétricas).

Mestre em Ecologia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) (1983) e Doutorado em Ecologia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) (2003), Chico Peixe revelou durante a audiência pública que um estudo feito pela Agência Nacional da Água (ANA) com a participação de 253 pessoas, sendo 70 pesquisadores, com dois anos de construção e quatro em campo, concluiu que o Rio Cuiabá não suporta sediar usinas hidrelétricas, ainda que de pequeno porte.

O estudioso citou que quase 50% do processo reprodutivo das mais importantes espécies da bacia do Pantanal está no Rio Cuiabá, o que inclui pacu, pintado, cachara, piraputanga, dourado, dentre outros. E é neste local que há o planejamento para a implantação de não uma, mas seis PCHs.

Em um primeiro momento, a consequência imediata, segundo Chico Peixe, será a redução da profundidade do rio.

“Vai ter momentos do dia que o Rio Cuiabá, para baixo das usinas – que é mais ou menos próximo de Passagem da Conceição até a confluência com o Manso – ele vai ter uma vasão menor que o Coxipó. O Coxipó já está super combalido, o Cuiabá já está super combalido, você imagina olhar o rio Cuiabá hoje e atravessá-lo com a água na canela. Vai ser igual ao [rio] Jauru. O [rio] Jauru as seis usinas que foram construídas lá, local que tinha 1,80m de profundidade, hoje tem 25, 30cm em determinados momentos”, lamenta o professor.

Com a baixa do nível, tudo indica com base em estudos técnicos científicos, que haverá redução no número de peixes, o que vai influenciar em toda a bacia pantaneira, e não só na baixada cuiabana.

“Vamos bloquear cerca de 50% do efetivo que abastece o Pantanal, incluindo Mato Grosso do Sul. (…) O Manual de Peixes do Pantanal conta que tem 264 espécies. Nós que estudamos peixes estamos sabendo que o Pantanal, enquanto região geológica, é componente de uma área inundada, uma área inundável e planalto, e essa área de inundação e inundada não sobrevive sem o planalto. Nós estamos tirando a possibilidade de, a partir de agora, peixes se reproduzam. E no momento que você faz uma que for, você muda a assinatura do rio, você muda todos os aspectos do rio”, concluiu.

Rebeca Moraeshttps://www.cenariomt.com.br
Redatora do portal CenárioMT, escreve diariamente as principais notícias que movimentam o cotidiano das cidades de Mato Grosso.

Redes sociais

107,337FãsCurtir
17,057SeguidoresSeguir
2,036SeguidoresSeguir

Lucas do Rio Verde

Lucas do Rio Verde
Equipe de karatê de Lucas do Rio Verde conquista segunda colocação em competição nacional
setembro 22, 2021
TOP 4 NACIONAL
Cercado de expectativa, Show Safra 2022 é lançado em Lucas do Rio Verde
setembro 22, 2021
PROCURA-SE
Adolescente residente em Lucas do Rio Verde segue desaparecida: menor que ‘foi localizada’ também havia saído de casa
setembro 22, 2021
FIQUE ATENTO
Prova pra seleção de conciliador da Justiça de Lucas do Rio Verde será no domingo (26)
setembro 22, 2021