26.9 C
Lucas do Rio Verde
domingo, 20 junho, 2021
InícioMATO GROSSOCUIABÁImortal da Academia Mato-grossense de Letras é homenageada em sarau; evento será...

Imortal da Academia Mato-grossense de Letras é homenageada em sarau; evento será gravado e disponibilizado online

O sarau é fruto de projeto aprovado em edital da Lei Federal Aldir Blanc em Cuiabá, executado pela Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, com apoio do Conselho Municipal de Política Cultural de Cuiabá.
Por CenarioMT

O Sarau Dunga Rodrigues Vive realizará, na próxima sexta-feira (21), às 19h, na Casa Barão de Melgaço um evento em homenagem a esta imortal da Academia Mato-grossense de Letras (AML), que deixou um legado inestimável, não somente na música, mas em todos os campos de sua atuação cultural. O sarau é fruto de projeto aprovado em edital da Lei Federal Aldir Blanc em Cuiabá, executado pela Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, com apoio do Conselho Municipal de Política Cultural de Cuiabá. Seguindo todos os protocolos sanitários, o sarau será gravado e disponibilizado posteriormente no Youtube para acesso do público a partir do dia 24 de maio

O evento presencial será restrito para trinta convidados, entre autoridades, membros do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso, Academia Mato-grossense de Letras e do Conservatório Dunga Rodrigues.

A Casa Barão de Melgaço foi o local escolhido para a realização do evento por conta de sua simbologia para a homenageada, Dunga Rodrigues. O local é a residência do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso há 102 anos e da Academia Mato-Grossense de Letras há 100 anos, que Dunga frequentou e colaborou enquanto associada efetiva. “Nada mais justo que o Solar de Melgaço abrigar o Sarau, onde serão apresentadas músicas e danças de predileção de Dunga”, afirmou Elizabeth Siqueira.

O sarau se inicia com a execução da obra-prima Rapsódia Cuiabana, peça que Dunga Rodrigues encomendou ao maestro Miguel Ângelo Ruiz, natural de Santos e radicado em Bauru, especialmente para as comemorações dos 250 anos de sua cidade natal, Cuiabá. Na ocasião, a partitura foi executada por Dunga ao piano e Tote Garcia no violino.

Na Rapsódia Cuiabana há elementos dos ritos religiosos, hinos e rasqueados cuiabanos. Trata-se de um arranjo para piano a quatro mãos, elaborado pela arranjadora e pianista Hannelore Ema Bucher, de Vitória/ES, encomendado pela diretora do Conservatório Musical Dunga Rodrigues.

A parte instrumental fica a cargo do Conservatório Musical Dunga Rodrigues, apresentada, a quatro mãos, por Edith Seixas, diretora do Conservatório e Ebe Sofia Amorim, tendo a parte final da Rapsódia, a do rasqueado, abrilhantada por dois dançarinos, Francis Petini e Priscila de Paula, integrantes do Grupo Flor Ribeirinha.

A segunda parte do Sarau será dedicada ao compositor brasileiro Ernesto Nazaré, nascido no Rio de Janeiro em 1863, e falecido na mesma cidade em 1934. Sua música se situa entre a erudita e a popular, gênero peculiar entre a valsa e o choro, a que chamava de “tango brasileiro”. A brasilidade de Ernesto Nazaré era muito do agrado da pianista Dunga Rodrigues. Deste compositor serão executadas quatro peças: Turbilhão de Beijos, valsa lenta publicada em 1911 por Bevilacqua & Cia., sob encomenda da Casa Mozart, e Turuna, grande tango característico de Ernesto Nazareth, publicado em 1899 pela Bevilacqua & Cia.

As duas últimas peças do mesmo compositor serão executadas ao piano e dançadas pelos dois componentes do Grupo Flor Ribeirinha, a saber, o famoso Brejeiro, primeiro tango brasileiro de Nazareth, publicado em 1893 por Fontes & Cia., e o não menos aplaudido Odeon.

“Todos, presencial ou virtualmente, serão bem vindos ao Sarau, uma justa homenagem àquela que tanto colaborou para a cultura de Mato Grosso, Dunga Rodrigues”, finalizou Elizabeth Madureira.

Sobre Dunga Rodrigues

Maria Benedita Deschamps Rodrigues, Dunga Rodrigues, nasceu em Cuiabá-MT, aos 15 de julho de 1908, tendo completado, em 2021, 113 anos. Os primeiros estudos foram cursados junto ao tradicional Asilo Santa Rita, como aluna externa, e em seguida na Escola Modelo Barão de Melgaço. O ensino médio foi realizado no tradicional Liceu Cuiabano.

Diplomou-se em piano e harmonia pelo Conservatório Musical de Mato Grosso e pelo Conservatório Brasileiro de Música (RJ), com certificado registrado junto ao Instituto Villa Lobos. Diplomou-se contadora pela Escola Técnica de Comércio de Cuiabá.

Lecionou piano e francês em diversos estabelecimentos de ensino. Pelos seus conhecimentos sobre a cultura e musicalidade regional, foi admitida como Agente Didático no Núcleo de Documentação e Informação Histórica Regional da Universidade Federal de Mato Grosso.

Membro efetivo do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso, publicou as seguintes obras: Uma aventura em Mato Grosso (1984), Reminiscências de Cuiabá, em comemoração aos 250 anos de Cuiabá, Marphysa, romance folclórico cuiabano, Os Vizinhos, Cuiabá: roteiro de lendas, Memória Musical da Cuiabania (em 4 volumes), Lendas de Mato Grosso, Cuiabá ao longo de cem anos, em coautoria com Maria de Arruda Müller, Colcha de Retalhos e Movimento musical em Cuiabá.

Ela foi empossada na AML, no dia 19 de setembro de 1984, ocupando a Cadeira nº 39, tendo sido recepcionada pelo Acadêmico António de Arruda, cujo discurso foi intitulado Dunga Plural, visto seus múltiplos talentos.

Faleceu na cidade litorânea de Santos-SP, no dia 8 de janeiro de 2001.

SERVIÇO

Sarau Dunga Rodrigues Vive

DATA: 21/05 (sexta-feira)

HORA: 19h

LOCAL: Presencial na Casa Barão de Melgaço para apenas 30 convidados identificados em convite. A partir do dia 24/05 ficará disponível no youtube para todo o público.

**com informações da assessoria do projeto 


© CenárioMThttps://www.cenariomt.com.br
CenárioMT - Publicamos notícias diariamente no portal!
- Publicidade -

Últimas no CenárioMT

Lucas do Rio Verde

SUSTO
Caminhonete com assessores de senador capota em Mato Grosso
junho 20, 2021
IMPORTUNAÇÃO SEXUAL
Passageiro de Lucas do Rio Verde ‘passa mão’ em idosa durante viagem de ônibus
junho 20, 2021