Colações de grau da UFMT serão feitas de forma online para evitar aglomeração de pessoas

Fonte: OLHAR DIRETO

reitoria da ufmt
(Foto: Mateus Hidalgo)

As colações de grau dos graduandos da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) serão feitas de forma online, por meio de um processo via Sistema Eletrônico de Informações (SEI), até o dia 23 de abril, para evitar aglomeração de pessoas. A informação consta na portaria GR Nº 179, publicada nesta segunda-feira (23) e assinada eletronicamente pelo reitor da UFMT, Evandro Aparecido Soares da Silva.

Conforme a portaria, fica a cargo da coordenação de cada curso iniciar o processo via SEI com a lista dos prováveis formandos para análise da exação curricular do semestre vigente. O processo será analisado pelos órgãos competentes da Universidade e retornará à coordenação de curso para disponibilizar acesso aos graduandos a Ata de Colação de Grau e Termo de Juramento. Ambos os documentos serão assinados eletronicamente pelos alunos.

Os documentos assinados serão encaminhados à Reitoria, “que poderá outorgar grau ou designar seu representante para confecção e assinatura do Termo de Outorga do Grau”. Após a assinatura da outorga, o processo seguirá para a Gerência de Registro Escolar da Graduação (campus Cuiabá) e às Supervisões de Registro Escolar (demais campus) para o registro da data da colação de grau no Histórico Escolar.

De acordo com a portaria, o rito virtual deve ser concluído até o dia 10 de abril para os campi de Cuiabá, Araguaia e Várzea Grande. Para o campus de Sinop, o prazo se estende para o dia 23 de abril.

A medida segue o caminho do comunicado feito pela Universidade no dia 16 de março, quando anunciou a suspensão das aulas presenciais nos campi por conta do novo corona vírus.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

“A decisão de interrupção imediata das atividades acadêmicas presenciais na UFMT foi motivada com base na declaração de emergência global de saúde, devido a pandemia relacionada ao Coronavírus, da Organização Mundial da Saúde (OMS), nas orientações do Ministério da Saúde do Brasil e no Decreto nº 407, de 16/03/2020 do Governo do Estado de Mato Grosso”, diz trecho da nota.