Contribuintes que enviaram declaração do IR são alvos de golpes e fraudes, alerta Receita

entrega da declaracao do imposto de renda comeca no dia 15 de marco scaled 1
© Marcello Casal JrAgência Brasil

Desde a semana final do prazo para o envio da declaração do Imposto de Renda, em 31 de maio, a Receita Federal, vem recebendo denúncias sobre tentativas de golpes que usam seu nome. Nos últimos dias, o órgão emitiu três alertas sobre mensagens falsas, que informam sobre erros na declaração, malha fina e restituição do imposto, mas não passam de trapaça.

Os golpistas se aproveitam da boa-fé dos contribuintes e, para dar veracidade aos avisos enviados, usam a mesma aparência, linguagem e termos que a Receita Federal costuma empregar em seus documentos oficiais, o que ajuda a confundir as vítimas.

Segundo o órgão, alguns exemplos são a sigla ‘IRPF’ (Imposto de Renda da Pessoa Física) no assunto da mensagem, e tratar os destinatários como ‘contribuintes’, termos utilizados na comunicação da Receita. Outro sinal é a presença de um link, possivelmente malicioso, no qual a pessoa é instigada a clicar.

Por isso, a orientação é ficar atento às mensagens recebidas, por e-mail ou SMS, e procurar nelas pistas de que sejam fraudulentas. A precaução é a principal forma de inibir essas práticas, desestimulando os golpistas a continuar com as armadilhas virtuais. Além disso, entender o mecanismo de cada golpe e/ou fraude é importante para não ser mais uma vítima. Conheça os golpes mais novos e os alertas do órgão:

[Continua depois da Publicidade]

1. Golpe dos ‘erros na declaração’: é aquele que começa com o envio de e-mails fraudulentos, informando que foram encontrados erros na DIRPF (Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física). Ele vem com um link e com detalhes do procedimento que deve ser feito para corrigir os dados incorretos, indicados em um arquivo pdf.

A Receita orienta os contribuintes que receberem esse tipo de mensagem a que não clicarem em links suspeitos e nem fornecerem informações pessoais. Com as mensagens falsas, quadrilhas especializadas em crimes pela internet tentam obter informações fiscais, cadastrais e financeiras, ou instalar programas que captam e enviam dados pessoais.

2. Golpe da declaração na malha fina: comunicados falsos também enviados por e-mail anunciam supostas divergências na declaração do IRPF, e informam que a declaração está sob análise e passará pela malha fiscal.

Um link (malicioso) é disponibilizado para o contribuinte fazer o download de um relatório com as divergências encontradas. Mas, ao clicar nele, abre seu computador ou celular para a entrada de vírus e outros tipos de programas invasores.

3. Golpe da antecipação da restituição: alguns sites prometem antecipar a restituição do Imposto de Renda, mas, para isso, solicita dados, documentos e informações fiscais, e podem até cobrar taxas para ‘acelerar’ o processo. Atenção: isso não é real, e pode ser até ilegal.

Os contribuintes, segundo o órgão de fiscalização, devem desconfiar desse tipo de oferta, e permanecerem vigilantes. A Receita Federal reforça os alertas anteriores e reafirma que não envia comunicações eletrônicas contendo links ou solicitações de dados cadastrais ou fiscais.

Veja mais dicas da Receita Federal para não cair em golpes:

• Desconfie de e-mails ou mensagens de origem desconhecida que solicitam informações pessoais, especialmente relacionadas à declaração do Imposto de Renda;

• Nunca clique em links suspeitos ou desconhecidos, pois eles podem direcionar você a sites maliciosos ou baixar programas prejudiciais em seu dispositivo;

• Não abra arquivos anexados, que normalmente são programas executáveis e podem causar danos ao computador ou capturar informações confidenciais do usuário;

[Continua depois da Publicidade]

• Verifique sempre a autenticidade das comunicações que parecem ser da Receita Federal, utilizando o e-CAC e o site institucional como canais seguros de comunicação;

Declaração com erro

Ao enviar sua DIRPF 2023, ela passa por uma análise nos sistemas da Receita Federal. Se forem encontradas diferenças entre as informações apresentadas por você, e os dados fornecidos por terceiros, sua declaração poderá ser retida para uma avaliação mais detalhada, na conhecida ‘malha fiscal’ (ou malha fina).

Para verificar se sua declaração está em malha, é preciso acessar o e-CAC e selecionar a opção ‘Meu Imposto de Renda (Extrato da DIRPF)’. Depois, na aba ‘Processamento’, escolha o item ‘Pendências de Malha’, onde você poderá verificar o status da sua declaração e, se for o caso, obter informações sobre o motivo da retenção.

Se a declaração estiver em malha, pode ser que você tenha cometido algum erro no preenchimento ou deixado de informar um rendimento ou despesa. Para regularizar a situação, é necessário fazer a retificação da sua declaração, desde que ainda não tenha recebido o termo de intimação.

Redatora do portal CenárioMT, escreve diariamente as principais notícias que movimentam o cotidiano das cidades de Mato Grosso. Já trabalhou em Rádio Jornal (site e redação).