Tratamento para Parkinson com tecnologia inovadora avança em fase de testes

Pós PhD em neurociências, Dr. Fabiano de Abreu, explica que ,nos testes, novo tratamento já apresenta eficácia superior os tradicionais

Fonte:

ball 2585603 1920 jpg

ball 2585603 1920 jpg

A doença de Parkinson é uma condição neurodegenerativa que afeta principalmente os movimentos do corpo, seus sintomas incluem tremores, rigidez muscular, lentidão de movimento e problemas de equilíbrio, não há cura para a doença de Parkinson, mas existem tratamentos que podem ajudar a aliviar os sintomas e melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

No entanto, a NeuroDerm, empresa de pesquisa e desenvolvimento na área da saúde, produziu um medicamento com uma tecnologia inovadora capaz de potencializar os resultados de duas substâncias já conhecidas no tratamento de Parkinson, levodopa e carbidopa.

O medicamento utiliza um dispositivo semelhante a uma bomba de insulina que fornece o medicamento continuamente sob a pele do paciente, o que pode trazer melhores resultados no tratamento da doença ao reduzir a variabilidade dos níveis plasmáticos de carbidopa e levodopa, além de proporcionar maior biodisponibilidade.

[Continua depois da Publicidade]

Segundo o Pós PhD em neurociências, Dr. Fabiano de Abreu Agrela, o novo método contra o Parkinson pode ajudar a melhorar a qualidade de vida dos pacientes e evitar oscilação de sintomas.

O Parkinson afeta bastante a autonomia e qualidade de vida do paciente, os tratamentos tradicionais, que já utilizam a substância-ativa levodopa/carbidopa, causam oscilações dos sintomas, o que faz com que em um momento o paciente esteja bem e no outro, os sintomas retornem”.

Esse novo método permite que o medicamento seja administrado continuamente, o que, de acordo com os resultados preliminares dos testes já realizados, reduzem essas oscilações, possibilitando uma melhora dos sintomas mais linear para os pacientes, o que é fundamental para a sua qualidade de vida”, Explica.

O novo método se encontra atualmente na fase III de testes e tem apresentado resultados promissores para pacientes que sofrem de Parkinson há mais de quatro anos.

Dr. Fabiano de Abreu Agrela Rodrigues, Colunista do Cenário MT é um Pós-doutor e PhD em neurociências eleito membro da Sigma Xi, The Scientific Research Honor Society e Membro da Society for Neuroscience (USA) e da APA - American Philosophical Association, Mestre em Psicologia, Licenciado em Biologia e História; também Tecnólogo em Antropologia com várias formações nacionais e internacionais em Neurociências e Neuropsicologia. É diretor do Centro de Pesquisas e Análises Heráclito (CPAH), Cientista no Hospital Universitário Martin Dockweiler, Chefe do Departamento de Ciências e Tecnologia da Logos University International, Membro ativo da Redilat, membro-sócio da APBE - Associação Portuguesa de Biologia Evolutiva e da SPCE - Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação. Membro Mensa, Intertel e Triple Nine Society, sociedades de pessoas com alto QI.