“No meu estado, gerou emprego e atraiu milhões de turistas”, afirma governador de Goiás

Ronaldo Caiado relatou que medida foi "extremamente positiva" para os goianos

Fonte: Lucas Rodrigues | Secom-MT

Governador Ronaldo Caiado  - Foto por: Jefferson Rudy/Agência Senado
Governador Ronaldo Caiado - Foto por: Jefferson Rudy/Agência Senado

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, defendeu o projeto do Governo de Mato Grosso que prevê o “transporte zero” de peixes nos rios de Mato Grosso. No estado vizinho, a medida está em vigor há 10 anos e, de acordo com Caiado, tem sido “extremamente positiva” para os goianos.

A proposta de Mato Grosso prevê que no período de cinco anos, a começar em 1º de janeiro de 2024, o transporte, armazenamento e comercialização do pescado fiquem proibidos em todos os rios do estado. Durante esse período será permitida a modalidade pesque e solte, assim como a pesca de subsistência.

“Tem sido extremamente positivo para a economia do Estado de Goiás o transporte zero de pescado. É enorme o nosso prestígio hoje no cenário nacional. Para vocês terem uma ideia, são mais de 9 milhões de brasileiros e de turistas de outros países que vêm fazer as competições de pesca dos rios e lagos do nosso estado”, relatou.

[-CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE-]

Caiado registrou que, somente em 2023, já estão marcados 13 competições de pesca esportiva em Goiás, que irão contar “com a presença de milhares de pessoas.

“Isso tem gerado emprego e ao mesmo tempo um aumento da renda, seja para o barqueiro, para o restaurante, o comércio, enfim, toda a economia se movimenta”, pontuou.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

De acordo com Caiado, a medida fez com que Goiás de tornasse referência na prática de pesca esportiva no país, além de ser uma medida que trouxe desenvolvimento sustentável.

“Eu quero dizer aos meus irmãos de Mato Grosso que podem ter certeza: ao aplicarem aí o transporte zero de pescado, vocês vão ver o quanto os rios serão repovoados e o quanto os turistas vão chegar levando renda aí para toda essa região. Mato Grosso também é referência no meio ambiente e nós seremos referência nessa prática da pesca esportiva no Brasil. De mãos dadas, Goiás e Mato Grosso saem na frente”, completou.

O projeto

No caso dos pescadores artesanais, o projeto do Governo estabelece o pagamento de auxílio financeiro por três anos.

O profissional receberá qualificação em programas da Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania para o turismo ecológico e pesqueiro e de produção sustentável da aquicultura.

O projeto de transporte zero é necessário em razão da redução dos estoques pesqueiros em rios do Estado, colocando em risco várias espécies nativas de Mato Grosso e estados vizinhos.

Além da preservação das espécies e combate à pesca predatória, o objetivo do projeto também é fomentar o turismo no Estado e garantir emprego e renda para as famílias.