Valorização do dólar impulsiona cotações do algodão em Mato Grosso

Fonte: CenárioMT

Colheita de Algodão - Fotos do Canva
Colheita de Algodão - Fotos do Canva

Em junho de 2024, a valorização do dólar impulsionou o aumento das cotações do algodão, refletindo no avanço das negociações da pluma mato-grossense. De acordo com o Imea, a comercialização da pluma da safra 2023/24 atingiu 63,92% da produção total projetada, um avanço de 3,07 pontos percentuais em junho de 2024 em relação a maio. O preço médio negociado no mês fechou em R$ 132,36 por arroba, uma elevação de 0,86% no comparativo mensal.

No que tange à safra 2024/25, as negociações da pluma, em junho de 2024, alcançaram 18,57% da produção estimada, um avanço de 4,74 pontos percentuais em relação ao último relatório, com preço médio de R$ 135,85 por arroba, um aumento de 7,70% ante maio de 2024. No entanto, apesar dos progressos significativos nas vendas, elas ainda estão atrasadas em comparação à safra passada e à média dos últimos cinco anos. Apesar do aumento nas cotações do algodão, os preços continuam em baixos patamares. Com a maior oferta de pluma no estado, devido à colheita da safra 2023/24, os preços tendem a exibir uma tendência baixista, o que pode limitar novas vendas neste período.

Os escoamentos mensais da pluma brasileira, da safra 2022/23, continuam apresentando recordes. De acordo com a Secex, em junho de 2024, o país escoou 160,41 mil toneladas da fibra, uma alta de 59,22% ante o antigo recorde do mês de junho de 2021. Mato Grosso foi responsável por 69,31% dos envios de junho de 2024, exportando 111,19 mil toneladas. O estado tem sido fundamental para o maior volume de pluma enviado ao mercado externo, uma vez que é o principal produtor de algodão do país.

No acumulado da safra até o momento (agosto de 2023 a junho de 2024), Mato Grosso já escoou 1,59 milhão de toneladas, um aumento de 74,44% em relação ao mesmo período da safra 2021/22. Se o ritmo aquecido dos embarques permanecer em julho de 2024, o qual é o último mês do ciclo de envios da pluma da safra 2022/23, o volume da fibra exportado poderá ser o maior da série histórica, superando o recorde da safra 2019/20, que foi de 1,64 milhão de toneladas.

É formado em Jornalismo. Possui experiência em produção textual e, atualmente, dedica-se à redação do CenárioMT produzindo conteúdo sobre política, economia e esporte regional.