Mercado de proteínas: valorizações e competitividade na grande São Paulo

Fonte: CenárioMT

Mapa destaca vocação brasileira na exportação de carne de frango

As proteínas avícola e suína, comercializadas no atacado da Grande São Paulo, têm registrado valorizações significativas na primeira quinzena de junho, segundo pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). No entanto, o destaque vai para os preços da carne suína, que têm apresentado um aumento mais acentuado. Em contraste, os valores da proteína bovina registraram queda no mesmo período, de maio para junho.

Os dados do Cepea revelam uma mudança interessante na competitividade das proteínas. Em maio, a carcaça suína era negociada a 3,07 reais por quilo acima do preço da carne de frango. No início de junho, essa diferença aumentou para 3,14 reais por quilo. Esse aumento indica que a carne de frango tem se tornado mais competitiva em relação à carne suína.

Por outro lado, a competitividade da carne de frango em relação à carne bovina tem diminuído. Em maio, a diferença média de preço entre a carne bovina e a carne de frango era de 9,33 reais por quilo. Em junho, essa diferença reduziu-se para 8,75 reais por quilo, tornando a carne bovina uma opção mais atraente para os consumidores.

Implicações no Mercado

Essas mudanças nos preços das proteínas têm implicações significativas para o mercado e para os consumidores. O aumento na competitividade da carne de frango frente à suína pode levar a um maior consumo de frango, especialmente entre aqueles que buscam uma opção de proteína mais acessível. Já a redução na diferença de preço entre a carne bovina e a de frango pode beneficiar o consumo de carne bovina, tradicionalmente preferida por muitos consumidores.

A evolução dos preços e a competitividade entre essas proteínas são fatores que precisam ser monitorados de perto, pois afetam diretamente as estratégias de comercialização dos produtores e a decisão de compra dos consumidores. O cenário atual aponta para uma dinâmica de mercado onde a carne de frango se fortalece frente à suína, enquanto a carne bovina, apesar da queda nos preços, permanece uma escolha importante devido à sua atratividade crescente.

O mercado de proteínas na Grande São Paulo está passando por um período de ajuste, com valorizações que refletem na competitividade entre as diferentes carnes. A carne de frango ganha terreno frente à suína, enquanto a carne bovina se torna mais acessível em comparação ao frango. Essas tendências destacam a importância de acompanhar de perto os movimentos de preços e a demanda do mercado para tomar decisões informadas, tanto para produtores quanto para consumidores.

É formado em Jornalismo. Possui experiência em produção textual e, atualmente, dedica-se à redação do CenárioMT produzindo conteúdo sobre política, economia e esporte regional.