Brucelose: INDEA alerta sobre prazos para vacinação de rebanho

Indea/MT simplifica processo de emissão de atestados, facilitando a obrigatoriedade de vacinação contra brucelose para produtores rurais

Fonte: CenárioMT

MT possui 34,3 milhões de bovinos e, segundo estimativa do Indea, aproximadamente quatro milhões desse número são bezerras  - Foto por: Christiano Antonucci - Secom-MT
MT possui 34,3 milhões de bovinos e, segundo estimativa do Indea, aproximadamente quatro milhões desse número são bezerras - Foto por: Christiano Antonucci - Secom-MT

A vacinação contra a brucelose é uma medida essencial para garantir a saúde do rebanho bovino e a produtividade na agricultura. O médico veterinário do INDEA em Lucas do Rio Verde, Wilson da Silva Filho, destacou em entrevista ao CenárioMT a importância da vacinação dentro dos prazos estipulados para prevenir a disseminação da doença. Ele ressalta que a campanha de vacinação contra brucelose ocorre ao longo do ano, com duas etapas: de janeiro a junho e de julho a dezembro.

Durante a primeira etapa, que vai de janeiro a junho, os animais com idades entre três e oito meses devem ser vacinados. É fundamental que os produtores rurais estejam cientes dessas datas e tomem as medidas necessárias para garantir a imunização de seus animais.

Wilson Filho enfatiza que os produtores têm a opção de vacinar os animais por meio de um vacinador cadastrado ou através de um veterinário cadastrado no INDEA. Caso encontrem dificuldades, devem procurar a unidade do INDEA para receber orientações e assistência na vacinação.

Após a vacinação, é necessário que seja feita a constatação da vacinação, colocando o número quatro na faixa esquerda do rebanho. Isso é essencial para a fiscalização e para evitar bloqueios na movimentação dos animais. A declaração da vacinação é feita por meio de atestado, que o produtor deve apresentar ao INDEA.

Atestado de vacinação

Recentemente, o INDEA/MT implementou uma importante mudança para facilitar o processo de emissão de atestados de vacinação contra brucelose. Agora, os atestados são emitidos de forma automática no momento em que o médico-veterinário registra a vacinação no sistema informatizado. Essa medida visa beneficiar mais de mil profissionais e 80 mil produtores rurais, dispensando a necessidade de impressão do documento.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Com essa nova metodologia, o produtor não precisa mais comparecer pessoalmente ao órgão de defesa para apresentar o atestado. Após o envio pelo médico-veterinário, o Indea realiza a análise das informações e, se estiverem corretas, o atestado é aceito. Caso haja alguma inconsistência, uma comunicação devolutiva é gerada para ser entregue ao produtor.

Essa mudança faz parte do processo do INDEA de modernizar e aprimorar os serviços oferecidos ao setor agropecuário de Mato Grosso. A versão impressa do atestado será exigida apenas quando determinada pela legislação ou mediante solicitação do produtor. É importante que os dados do produtor e do médico-veterinário estejam sempre atualizados para garantir uma comunicação eficaz entre as partes.

Com a vacinação obrigatória contra brucelose simplificada pelo órgão em Mato Grosso, os produtores rurais podem cumprir suas obrigações de forma mais ágil e eficiente, contribuindo para a saúde e segurança do rebanho bovino mato-grossense.

Raiva animal

Além da brucelose, Wilson Filho também destaca a importância da vacinação contra a raiva, uma doença que pode afetar tanto os animais quanto os seres humanos. Embora a vacinação contra a raiva não seja obrigatória em todas as regiões, é uma medida preventiva fundamental para evitar a disseminação da doença.

Em casos específicos de ocorrência de raiva em determinada região, o INDEA mobiliza uma campanha de vacinação obrigatória, controlando assim a disseminação da doença. O produtor deve declarar a vacinação contra a raiva, assim como faz com a vacinação contra a brucelose, apresentando os documentos necessários ao órgão de defesa agropecuária.

Em suma, a vacinação contra a brucelose e a raiva é essencial para manter o rebanho saudável e garantir a segurança na produção agrícola. Os produtores devem estar cientes dos prazos e das obrigações legais relacionadas à vacinação, buscando sempre orientação junto ao INDEA quando necessário.

É formado em Jornalismo. Possui experiência em produção textual e, atualmente, dedica-se à redação do CenárioMT produzindo conteúdo sobre política, economia e esporte regional.