‘Não fizemos dívida de US$ 250 mi para tampar buraco’, diz secretário sobre empréstimos

0
Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

O secretário de Planejamento de Cuiabá, Zito Adrien, minimizou as críticas do governador Mauro Mendes (DEM) em relação ao rebaixamento da nota que mede a Capacidade de Pagamento (Capag) do município de B para C, pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN), ocorrido no mês de agosto. De acordo com Zito, o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) precisou sair da zona de conforto para realizar ações de melhorias ao cidadão, como na saúde e na mobilidade urbana.

Comparando com a administração atual do Governo do Estado, o secretário explicou que o rebaixamento da nota se deu, em parte, pelos empréstimos contraídos pela Prefeitura e por mudanças no critério na STN. Ele também disse que o prefeito não está apenas administrando despesas e que precisou trazer recursos para dar início a construção de viadutos, uma nova avenida, além de todo o investimento que está sendo feito na saúde, diferente do Estado, que, segundo ele, precisou de empréstimos para para pagar despesas, como foi caso da dívida dolarizada com o Bank of América de R$ US$ 250 milhões.


Continua depois da publicidade-pix


“Uma coisa é você administrar uma cidade por quatro anos de uma forma confortável e com dinheiro em caixa, não mexendo em nada, apenas com ações pontuais e irá entregar uma prefeitura bonita para outro gestor. A outra coisa é você ter a capacidade para investir de R$ 2 bilhões e tomar como fizemos, R$ 280 milhões de empréstimo. Não fizemos como fez o Governo, que emprestou 250 milhões de dólares para tampar buraco. Precisamos de R$ 300 milhões em uma capacidade de R$ 2 bilhões e vamos transformar isso em dois viadutos, uma via estrutural de 18 km que irá desafogar o trânsito, resolvendo a questão da mobilidade”, disse o gestor.

“Não estamos fazendo nada que não esteja dentro do equilíbrio, tanto é que o município está hoje com um equilíbrio orçamentário muito bom. A nota, descobrimos depois que foi por conta de uma mudança de critério. Os empréstimos afetam um pouco, mas o que é importante é que não afeta nada no equilíbrio, pois continuamos pagando o funcionário em dia, pagamos RGA e estamos com fornecedores em dia”, afirmou.

-Continua depois da publicidade ©-

No mês de agosto, a nota de Cuiabá, avaliada pela STN caiu de B para C. Em entrevistas na época, o governador Mauro Mendes classificou a situação como ‘lamentável’ e previu que a situação irá dificultar o acesso de mais créditos, além de financiamentos e programas do Governo Federal.

O governador também recordou que entregou a prefeitura de Cuiabá com nota B e disse que a atual administração fez uma lambança em permitir o rebaixamento.





-Patrocinador-