Olga Tokarczuk e Peter Handke ganham prêmio Nobel de Literatura

0
Foto: Reprodução/Twitter Nobel Prize

A polonesa Olga Tokarczuk e o austríaco Peter Handke ganharam o prêmio Nobel de Literatura. O comunicado foi feito nesta quinta-feira (9) pela Academia Sueca.

O prêmio entregue a Olga Tokarczuk foi referente ao ano de 2018, quando a academia cancelou a premiação após um escândalo sexual. No início de 2019, a instituição anunciou a decisão de conceder dois prêmios em 2019 para tentar recuperar seu prestígio.


Continua depois da publicidade-pix


O prêmio para cada um dos ganhadores é de 9 milhões de coroas suecas (o equivalente a cerca de R$ 3,7 milhões).

Segundo a academia, o prêmio entregue a Olga foi “por uma imaginação narrativa que, com paixão enciclopédica, representa o cruzamento de fronteiras como uma forma de vida.” Antes da premiação, a expectativa era que ao menos uma mulher levasse o prêmio e a polonesa estava entre os nomes cotados junto com a chinesa Can Xue, a russa Lyudmila Ulitskaya e a americana Joyce Carol Oates.

-Continua depois da publicidade ©-

Durante o anúncio, a academia explicou que Peter Handke foi nomeado “por um trabalho influente que, com ingenuidade linguística, explorou a periferia e a especificidade da experiência humana”.

Sobre os ganhadores

Olga Tokarczuk nasceu em 1962, em Sulechów, na Polônia, e hoje vive em Breslau, também na Polônia. Ela estreou como escritora de ficção em 1993 com ‘Podróz ludzi Księgi’ (“A jornada do povo do livro”, em tradução livre).

Segundo o Nobel, a verdadeira inovação de Tokarczuk veio com seu terceiro romance, ‘Prawiek i inne czasy’ 1996 (“Primitivo e Outros Tempos”). O romance é “um excelente exemplo de nova literatura polonesa após 1989”, disse o comitê do prêmio.

“A obra prima de Olga Tokarczuk, até agora, é o impressionante romance histórico ‘Księgi Jakubowe’ 2014 (‘Os Livros de Jacó’). Ela mostrou neste trabalho a capacidade suprema do romance de representar um caso quase além da compreensão humana”, acrescentou o comitê.

Handke, de 76 anos, nasceu em 1942, na vila de Griffen, na região de Kärnten, no sul da Áustria, mesmo local que sua mãe, que pertencia à minoria eslovena do lugar.

O romance de estreia de Peter Handke, Die Hornissen, (“As Vespas”, em tradução livre), foi publicado em 1966. A obra, junto com a peça ‘”Ofendendo o Público”, de 1969, são citados como responsáveis por deixar a marca do escritor no cenário literário.

“Mais de cinquenta anos depois do lançamento de seu primeiro livro, tendo produzido um grande número de obras em diferentes gêneros, o laureado de 2019, Peter Handke, estabeleceu-se como um dos escritores mais influentes da Europa após a Segunda Guerra Mundial.”

“A arte peculiar de Peter Handke, premiado de 2019, é a extraordinária atenção às paisagens e à presença material do mundo, que fez do cinema e da pintura duas de suas maiores fontes de inspiração,” avaliou o comitê.

Escândalo

O escândalo envolvendo o dramaturgo Jean-Claude Arnault revelou os segredos que ocorriam no interior de uma instituição cultural que recebia recursos da Academia Sueca.

Segundo a agência AFP, o comitê do Prêmio Nobel — composto normalmente por cinco membros que recomendam um laureado ao resto da academia — decidiu incluir em 2019 e 2020 “cinco especialistas externos”, especialmente críticos, editores e autores de entre 27 e 73 anos.

Depois do escândalo, estas nomeações externas foram impostas pela Fundação Nobel, que financia o prêmio.

“As mudanças foram muito frutíferas e temos esperança para o futuro”, declarou à AFP o novo secretário permanente, Mats Malm, dias antes do anúncio dos premiados.

Nobel da Literatura em números

Desde 1901, foram 114 laureados em 110 ocasiões da premiação. Isso porque eu quatro delas, dois nomes foram anunciados como vencedores no mesmo ano. Até hoje, ninguém foi premiado mais de uma vez no Nobel.

Rudyard Kipling foi o mais jovem vencedor do prêmio. Em 1907, quando foi nomeado, tinha 41 anos de idade.

Já a mais velha foi Doris Lessing, que estava com 88 anos quando foi premiada em 2007.

As mulheres do Nobel de Literatura

Até então, o Prêmio Nobel de Literatura havia sido concedido a apenas 14 mulheres entre uma centena de homens desde sua criação, em 1901. Com o nome de Olga, o número sobe para 15.

  • 1909 – Selma Lagerlöf
  • 1926 – Grazia Deledda
  • 1928 – Sigrid Undset
  • 1938 – Pearl Buck
  • 1945 – Gabriela Mistral
  • 1966 – Nelly Sachs
  • 1991 – Nadine Gordimer
  • 1993 – Toni Morrison
  • 1996 – Wislawa Szymborska
  • 2004 – Elfriede Jelinek
  • 2007 – Doris Lessing
  • 2009 – Herta Müller
  • 2013 – Alice Munro
  • 2015 – Svetlana Alexievich
  • 2018 – Olga Tokarczuk




-Patrocinador-