--
-Continua depois da publicidade ©-
--

O secretário municipal de Saúde de Lucas do Rio Verde, Rafael Bespalez, anunciou na manhã desta terça-feira (02) que o governo do estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES) decidiu manter o financiamento de R$ 1.300,00 por dia para a manutenção de cada leito da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São Lucas (HSL), instituição mantida pela Fundação Luverdense de Saúde.

O secretário de Saúde do Estado, Gilberto Gomes de Figueiredo, nos deu hoje cedo a notícia sobre a manutenção do financiamento e também sobre a prorrogação do prazo para habilitação dos leitos de UTI até o dia 31 de dezembro deste ano. Com essa medida, o estado atendeu à solicitação do município como resultado da gestão do prefeito Luiz Binotti, que levou à Secretaria de Estado de Saúde essa reivindicação em busca de uma solução para esse anseio da população regional”, informa.


-Continua depois da publicidade ©-

Bespalez também declarou que apesar da prorrogação, o Executivo, mesmo sendo responsável apenas pelo fornecimento de serviços de saúde de baixa e de média complexidade, tem contribuído para garantir a habilitação do serviço de UTI numa atuação conjunta com o próprio prestador do serviço do Hospital São Lucas. Além disso, o município, com o apoio do secretário de estado de Saúde, intensificará a gestão em Brasília para que o Ministério da Saúde apresente uma solução definitiva para a questão que igualmente se estenda ao governo do Estado.

De acordo com o secretário municipal, a notícia da prorrogação da manutenção do financiamento traz a tranquilidade necessária para continuar ofertando esse tipo de serviço para os pacientes atendidos pelo Hospital São Lucas. O modelo de prestação de contas e de repasse, segundo Bespalez, se mantém inalterado. “Continua exatamente como era. É feita a prestação de contas, com o envio da documentação para a Secretaria de Estado de Saúde, que faz o repasse para o município e, a partir daí, o município repassa ao Hospital”, explica.

Por lei, os municípios estão desobrigados do fornecimento de leitos de UTI por se tratar de um serviço de alta complexidade e, portanto, uma responsabilidade dos governos estaduais e da União. Atualmente, a UTI do Hospital São Lucas destina oito leitos neonatais e oito leitos para adultos a pacientes do Serviço Único de Saúde (SUS).