Polícia prende traficante que atuava na fabricação e venda de loló

0

Um jovem que comercializava a substância entorpecente conhecida como “Loló” foi preso em flagrante pela Polícia Civil, na noite de quinta-feira (23,05), em mais um trabalho de combate ao tráfico doméstico realizado pela Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecente (DRE).

O suspeito, de 24 anos, foi flagrado com galões de cinco litros contendo a substância, além de R$ 100 em dinheiro, adquirido com a venda do produto. Ele foi conduzido a DRE onde foi autuado em flagrante por tráfico de drogas.


Continua depois da publicidade

As investigações iniciaram após a equipe da DRE receber informações de que o suspeito realizava o comércio do entorpecente, em sua residência, no bairro poção em Cuiabá. Após o monitoramento do endereço, os policiais constataram a grande movimentação de pessoas na casa, característico de pontos de venda de drogas.

Diante das evidências, os policiais realizaram a abordagem de dois suspeitos que saíram da casa em uma motocicleta, em poder de uma garrafa pet. Durante a ação, os abordados confessaram que a substância na garrafa era “loló” e que haviam adquirido o produto pelo valor de R$ 100, com o investigado.

-Continua depois da publicidade ©-

Em continuidade as diligências, os policiais retornaram a residência do suspeito, que ao perceber a chegada da equipe, tentou empreender fuga, porém foi detido. Em buscas no quarto do traficante, foram apreendidos três galões de cinco litros com resquícios da substância, uma garrafa pet cheia e um galão preenchido pela metade com o produto.

Os R$ 100 pagos pelos usuários poucos minutos antes, também foram apreendidos na residência. Diante do flagrante, o suspeito foi conduzido a DRE, onde após interrogado foi autuado por tráfico de drogas.

Segundo o delegado, Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, o loló é uma droga antiga, que foi muito utilizada e está voltando a ser consumida. “O suspeito fabricava o produto que é feito através de uma mistura de uma série de substâncias nocivas a saúde e que está retornando ao mercado de entorpecentes, em crescente consumo entre os jovens”, destacou o delegado.





-Patrocinador-