CPTM recebe até 5 de abril propostas para construção da estação João Dias, da Linha 9

Será a primeira vez que uma estação do sistema metroferroviário vai ser construída e custeada pela iniciativa privada e doada ao Estad

0

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) receberá até o dia 5 de abril manifestação de interesse da iniciativa privada para implantação da estação João Dias, entre as estações Granja Julieta e Santo Amaro, na Linha 9-Esmeralda (Osasco – Grajaú). O objetivo é dar a outras empresas a oportunidade de apresentar propostas equivalentes ou superiores à da Tegra Incorporadora, que propôs construir a estação e doá-la ao Governo do Estado.

Será a primeira vez que uma estação do sistema metroferroviário vai ser construída neste modelo de parceria. O anúncio foi realizado pelo governador João Doria e pelo secretário de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy nesta sexta-feira (15).

-- --

“Os usuários da Linha 9-Esmeralda, da CPTM, terão uma nova estação totalmente reformada, equipada e financiada integralmente pela iniciativa privada. Ela estabelece um novo modelo para as estações da Companhia, que passarão a ter um padrão Metrô. Serão estações seguras, com conforto, acessibilidade plena, sinalização e padrão internacional”, diz o Governador João Doria.

Os projetos, planilhas e demais documentos técnicos de outras empresas interessadas em executar a obra podem ser retirados no Protocolo de Licitações, localizado na rua Boa Vista, 175, térreo, centro, São Paulo, SP.


-Continua depois da publicidade ©-

Conforme aviso público de doação publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) no dia 1º deste mês, a Tegra propõe doar os direitos sobre um terreno anexo à estação para implantação dos acessos ao local e arcará com os custos da construção estimados em R$ 60 milhões.  A incorporadora tem interesse no investimento porque a estação de trens facilitará o acesso às duas torres corporativas que possui próximo ao local.

A nova estação – A Tegra já elaborou o projeto executivo da nova estação em cooperação com a CPTM para atender aos padrões técnicos da Companhia. Pelo projeto, a estação contará com uma entrada dentro do empreendimento da incorporadora e uma entrada principal na pista local da Marginal Pinheiros.

Seguindo o modelo das demais estações da CPTM, o empreendimento contará com edifício principal, passarela de acesso à plataforma central e terá escadas rolantes, fixas e elevadores, garantindo acessibilidade a todos os passageiros. O prazo previsto é de execução em 37 meses.  A demanda prevista é de cerca de 10.500 mil usuários por dia útil.