Agentes de segurança aprendem técnicas para proteção de autoridades

O curso, promovido pelo Gabinete Militar, ocorre nesta e na próxima semana, para uma turma de 32 policiais militares. Outros 33 agentes participam da segunda turma, no início de abril.

0

Pouco mais de 60 agentes de segurança do Estado participam do 12º Curso de Proteção de Dignitários. O curso, promovido pelo Gabinete Militar, ocorre nesta e na próxima semana, para uma turma de 32 policiais militares. Outros 33 agentes participam da segunda turma, no início de abril.

Durante duas semanas, policiais que atuam no Gabinete Militar, no Ministério Público do Estado, no Tribunal de Contas do Estado, na Casa Civil e em municípios do interior, terão aulas práticas e teóricas de planejamento de segurança, escolta, noções de direção defensiva, varredura de ambientes, combate a incêndios, defesa pessoal, cerimonial, etiqueta e protocolo, aulas de tiro e salvamento aquático e terrestre.


Nesta quinta-feira (14.03), aulas práticas de salvamento aquático foram ministradas na Lagoa Trevisan. De acordo com o instrutor da aula, o major Sávio Pellegrini, o objetivo é aproximar os alunos o máximo possível da realidade.

“Nessa disciplina, os alunos devem aprender a resgatar pessoas que estejam se afogando. Isso pode ocorrer em acidentes aéreos na água, em que haja sobreviventes, ou mesmo automobilístico, quando o veículo cai na água. O objetivo é garantir que as pessoas saiam do carro, ou avião, e o agente deve ajudar na flutuação e salvar vidas”, explicou Pellegrini.

  A operação “Lama Vermelha” desmonta facção criminosa em MT

Um dos alunos do curso é o major Ricardo de Almeida Mendes, para quem “o conhecimento específico é extremamente necessário para o melhor desempenho da função na proteção das autoridades do Estado”.

O coordenador do curso, major Fernando Turbino, pontuou que os alunos devem comparecer a 120 horas/aulas de aulas práticas e teóricas, envolvendo 13 disciplinas. As teóricas ocorrem na Escola de Governo e as práticas em diversos locais, como a Lagoa Trevisan, piscina da UFMT, além das sedes da Rotam, Bope e Bombeiros.

“Os agentes devem estar preparados para todas as situações que ocorrem durante o serviço de proteção de autoridades. Essas disciplinas também servem para a vida funcional do agente, já que são importantes para diversas ações a serem desenvolvidas no decorrer da função”, comentou Turbino.