Prova da OAB: 5 dicas para estudar e passar

0
justiça
foto Pixabay

Embora seja facultativa aos bacharéis em Direito, a aprovação no Exame da Ordem dos Advogados do Brasil, a prova da OAB, é requisito obrigatório para o exercício da advocacia no Brasil. Cada edital engloba duas provas eliminatórias, com as 17 disciplinas do curso como conteúdo.

A segunda fase do XXXI Exame da Ordem está prevista para 30 de agosto de 2020. O teste, que anteriormente ocorreria em abril, foi adiado para maio e junho, por conta do impacto da pandemia do novo coronavírus. A primeira fase foi realizada no ultimo mês de fevereiro.

Por enquanto, estão suspensos os editais referentes aos exames XXXII e XXXIII, que também ocorreriam neste ano. O calendário atualizado ainda será divulgado pela Coordenação Nacional do Exame.

Com um nível de exigência elevado, os candidatos sabem que é necessária uma preparação adequada para alcançar a aprovação e a tão sonhada carteira de advogado.

De acordo com dados do site Exame de Ordem, estavam inscritos 122 mil candidatos no XXX Exame, o último realizado em 2019. Após as duas etapas, 21.863 passaram – ou seja, índice de 17,92% de aprovação dos inscritos, incluindo os que entraram na repescagem da segunda fase.

Para quem vai encarar o desafio da Prova da OAB, eis uma lista de dicas para auxiliar a ter um bom desempenho.

Dica #1: Entenda como funciona o exame

Quem for prestar o exame, que é aplicado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), precisa entender o que é exigido para definir uma estratégia de estudo e, por consequência, se sair bem na prova.

A primeira fase é objetiva, o candidato tem cinco horas para responder 80 questões, sem consulta e precisa acertar pelo menos 50% para avançar à segunda etapa.

É importante entender quais são os conteúdos de doutrina, legislação e jurisprudência mais recorrentes e os próprios pontos fortes e fracos. Priorizar as disciplinas que têm alguma dificuldade e esclarecê-las, para buscar o máximo de conhecimento possível.

Na segunda etapa, que é a prova prático-profissional, devem ser respondidas questões objetivas e uma peça profissional que aborda um tema da área jurídica escolhida pelo candidato.

Vale dez pontos. Para ser aprovado, é preciso obter nota igual ou superior a seis.

Outro fato óbvio: passar da 1ª etapa não significa descuidar na preparação para a 2ª. Nesta última, o foco do candidato é trabalhar a capacidade de organizar as argumentações na elaboração da peça processual e estudar a disciplina que escolheu. Exige tanta concentração e organização quanto a fase anterior.

Dica #2: Crie um cronograma de estudos e respeite o descanso

Estabelecer uma rotina de estudos é importante para ajudar na compreensão e memorização das matérias que podem ser cobradas no exame. Portanto, planejar é o caminho para usar o tempo disponível da melhor forma.

O ideal é dedicar o horário que se sente mais ativo para os conteúdos onde mais tem dificuldade, seja com leituras ou exercícios. O cronograma deve incluir sempre um período para revisões dos temas estudados.

A pessoa deve respeitar os próprios limites. Não adianta só estudar, sem pausa para descanso ou para outra atividade que distraia. O equilíbrio faz bem à mente e ao processamento das informações.

É interessante reservar algum momento para atividades físicas, que ajudam até a diminuir o estresse.

Em hipótese nenhuma abra mão de pausas ou diminua o horário reservado para dormir e relaxar. Não é quantidade de horas estudadas, mas a qualidade delas que faz a diferença.

Ter um dia para fazer algo não relacionado aos estudos, como ver um filme, ler um livro, é permitir ao cérebro e ao corpo a oportunidade de recarregarem as energias.

Dica #3: Pratique com simulados e provas anteriores

Não basta apenas ler o conteúdo das disciplinas. É necessário realizar simulados e resolver provas anteriores. A Estratégia Concursos disponibiliza questões, exames e os respectivos gabaritos.

No caso da primeira fase, ajuda ao candidato a estabelecer contato com a forma como as perguntas são elaboradas, quais conteúdos podem vir relacionados. Além de incentivar que encontre caminhos para compreender os enunciados grandes e complexos.

É a fase onde os erros são permitidos e se tornam aliados, pois apontam em quais conteúdos é preciso melhorar.

Além disso, é interessante monitorar o tempo que cada questão pode exigir para interpretação e resolução e como otimizá-lo com qualidade na análise da pergunta e na elaboração da resposta.

Para a segunda fase, a orientação é escrever e reescrever peças processuais. Assim, estará desenvolvendo a capacidade de elencar da forma adequada os argumentos para responder à demanda apresentada no Exame de Ordem Unificado.

Dica #4: Procure material ou curso de apoio

Ao estudar, o ideal é buscar conteúdo de apoio de qualidade e que esteja apropriado ao especificado no edital.

O Vade Mecum, uma apostila de exercícios com comentários, também os livros ou resumos sobre as doutrinas são obrigatórios ao longo do período de estudos.

Com a facilidade oferecida pela tecnologia, o candidato pode – e deve – pesquisar na internet. Recorrer a um buscador de cursos faz a diferença nesta preparação.

Com uma boa ferramenta, a pessoa pode comparar as opções, os preços, as metodologias e planos de estudos e ainda assistir à prévia das aulas.

Pode escolher por conteúdo, por fase da prova do Exame de Ordem e quais oferecem possibilidade de simulados.

Dica #5: Prepare-se também emocionalmente para a prova

O Exame de Ordem Unificado testa todo o conteúdo aprendido pelo candidato na graduação. No entanto, exige também controle das emoções antes e durante a prova.

O candidato precisa entender que o estresse e a ansiedade não ajudam neste momento.

Ter medo e angústia é normal, cabe à pessoa não se deixar controlar por eles. Evite também autocobrança desnecessária e exagerada.

Portanto, nada de se comparar ao desempenho de conhecidos, amigos, colegas, parentes. Converse com eles afirmando que pressão é diferente de incentivo.

Para isso, tenha disciplina com a programação de estudo e com o tempo de descanso. O ideal é não estudar na última hora, porque pode gerar insegurança.

Outra orientação para a hora do exame é que técnicas de respiração – com inspiração e expiração profundas – ajudam a diminuir o nervosismo, oxigenando o cérebro.

O segredo para uma preparação serena é estabelecer metas possíveis, dentro de um ritmo saudável de estudo, evitar distrações e zelar por um tempo de qualidade quando estiver aprendendo.

Depois, basta relaxar com a certeza de que reunirá condições para conquistar um bom resultado no Exame.

Leia também: Previsões para o horóscopo do dia de hoje (07/08/2020)


Amazonia 03 de Junho