19.6 C
Lucas do Rio Verde
terça-feira, 05 julho, 2022
Publicidade
InícioSAÚDEVacina contra HPV é forte aliada na prevenção do câncer de colo...

Vacina contra HPV é forte aliada na prevenção do câncer de colo de útero

Realização de consultas e exames regularmente ajuda no diagnóstico precoce e favorece o tratamento, explica cirurgiã oncológica
Texto por REDAÇÃO CENÁRIOMT

Cuidar da saúde sempre esteve entre as prioridades de Rozimari Pereira da Silva. As frequentes visitas ao médico foram fundamentais para o diagnóstico: câncer de colo de útero. Silenciosa, a doença não foi identificada nos exames preventivos. “Não tive sintomas no início, mas com tempo eles apareceram e acenderam o alerta. Apesar do meu caso ser um tipo raro, a regularidade com que passei por consultas foi importante para o sucesso do tratamento”. O câncer de colo de útero – também chamado de câncer cervical – é uma das doenças com maiores possibilidades de cura se diagnosticado precocemente. No entanto, ele é o terceiro mais frequente nas mulheres e a quarta causa de morte por câncer entre a população feminina no Brasil, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA).

Entre o diagnóstico e a cirurgia, última fase do tratamento de Rozimari, foram 12 meses. Moradora do município de Tangará da Serra, localizada a 240 km de Cuiabá, ela se deslocava a cada 20 dias à Capital para realizar o tratamento. “Precisei fazer quimioterapia e radioterapia antes da cirurgia. Tive poucos efeitos colaterais e procurei estar bem emocionalmente. Eu só pensava em vencer a doença para cuidar do meu filho”.
Originado por uma multiplicação celular defeituosa na região mais inferior do útero, o câncer cervical tem relação com alguns tipos de HPV. “Em geral, essa multiplicação celular é um processo iniciado para o reparo de um dano local na tentativa de o corpo conter uma lesão crônica causada pelo vírus do HPV”, explica Danielly Gobbi, médica cirurgiã oncológica da Oncomed-MT, em Cuiabá.


--Continua depois da publicidade--

A médica esclarece ainda que o HPV é um vírus cuja transmissão se dá por via sexual, mas nem todos os casos de infecção evoluem para o câncer. “A maioria das infecções por HPV é assintomática e de caráter transitório, ou seja, regride espontaneamente. O vírus se apresenta em mais de 100 tipos diferentes sendo 15 deles classificados como de alto risco oncogênico. Já os outros são considerados de baixo risco e estão relacionados a verrugas genitais”.

Importância da vacina – Uma das principais formas de prevenção do câncer de colo de útero está associada a vacinação contra o HPV. Elas são preparadas a partir de partículas virais semelhantes ao vírus e são capazes de gerar resposta imunológica. “Atualmente, existem duas vacinas disponíveis no mercado: a bivalente e a quadrivalente. A vacina bivalente é indicada para meninas e mulheres de 10 a 25 anos de idade para prevenir eventos que podem evoluir para câncer de colo de útero. Já a quadrivalente é indicada para a faixa de 9 a 26 anos para prevenir o câncer de colo do útero, da vulva e da vagina, além das verrugas genitais”, explica.

O HPV também apresenta riscos iminentes para homens, como o surgimento de verrugas genitais no pênis, ânus e em regiões como boca e garganta, além de um elevado potencial de contágio. Por isso, a vacina quadrivalente também está disponível para o público masculino com idade entre 9 e 26 anos.

Apesar da vacina possuir maior indicação para meninas que ainda não iniciaram a vida sexual, estudos recentes indicaram proteção também em mulheres que já possuem vida sexual ativa e naquelas tratadas por lesões pelo HPV. “A infecção natural não produz anticorpos suficientes e duradouros, a proteção adicional vacinal acaba sendo um ganho importante”, ressalta a médica.


--Continua depois da publicidade--

Além da vacinação, a realização do exame Papanicolau deve estar entre as ações preventivas. É um exame simples e rápido e deve ser realizado em mulheres na faixa etária de 25 a 64 anos que possuem vida sexual ativa. Quando diagnosticado de forma precoce, as chances de cura do câncer cervical são de 100%.

O tratamento deve ser avaliado e orientado por um médico. Entre as técnicas utilizadas para o tratamento do câncer de colo de útero estão a cirurgia, a quimioterapia e a radioterapia. O tipo de tratamento dependerá do estágio de evolução da doença, idade e tamanho do tumor.

Sobre a Oncomed-MT –Situada em Cuiabá (MT), a clínica especializada no tratamento multidisciplinar do câncer iniciou suas atividades em 1996. Hoje conta com sede ampla, de fácil acesso e fortemente estruturada, dispondo de consultórios, ala de quimioterapia com farmácia e unidade de radioterapia. O corpo clínico é formado por oncologistas clínicos, cirurgiões oncológicos, radioterapeutas, hematologistas, mastologistas, urologistas e profissionais especializados em cuidados paliativos.

Gustavo Praiado
Gustavo Praiadohttps://www.cenariomt.com.br
Atualmente, trabalha na equipe do portal CenárioMT, produzindo conteúdo sobre economia, esportes e direitos da população brasileira, gosta de assistir séries, filmes de ação e de videogames. Editor também em conteúdos regionais, sempre atento as tendências que o internauta procura para ficar bem informado.

Publicidade


Publicidade

Lucas do Rio Verde

DISPARADA
Lucas do Rio Verde registrou mais de 720 novos da Covid-19 na última semana
julho 04, 2022
DIREITO ANIMAL
Lucas do Rio Verde: Em evento escolar, defensores falam sobre direitos e proteção de animais
julho 04, 2022
EDUCAÇÃO
Projeto que cria passe livre a estudantes é aprovado pela Câmara de Lucas do Rio Verde
julho 04, 2022
RGA DA EDUCAÇÃO
Prefeito Miguel participa de reunião com vereadores para esclarecer erro material em projeto de lei
julho 04, 2022