20 C
Lucas do Rio Verde
sexta-feira, 21 janeiro, 2022
Publicidade
InícioMUNDOViolência: mulheres fingem pedir comida para serem resgatadas no DF

Violência: mulheres fingem pedir comida para serem resgatadas no DF

Jovem de 19 anos telefonou para o 190 e fingiu pedir um hambúrguer, para denunciar um caso de estupro em Samambaia, no Distrito Federal. Policiais perceberam o pedido de socorro.
Por Kariane Costa - Repórter da Rádio Nacional* - Brasília

Em menos de um mês, duas mulheres do Distrito Federal (DF) conseguiram ser resgatadas de situação de violência ligando para a polícia e fingindo pedir comida.

Na segunda-feira (18), uma jovem de 19 anos telefonou para o 190 e fingiu pedir um hambúrguer para denunciar um caso de estupro em Samambaia, cidade localizada a pouco mais de 25 quilômetros (km) do centro de Brasília.


--Continua depois da publicidade--

A vítima contou que estava em cárcere privado e sofrendo violência sexual desde sábado (16). O acusado, um homem de 32 anos, que cumpria prisão domiciliar, foi detido em flagrante.

No fim de setembro, uma mulher que estava sendo ameaçada pelo marido com uma faca em Ceilândia, a 35 quilômetros da capital do país, também conseguiu ajuda da Policia Militar, fingindo pedir uma pizza. O homem foi preso.

Nos dois casos, os policiais perceberam os pedidos de socorro.

O chefe do Centro de Comunicação da Polícia Militar do DF, coronel Edvã, explicou que os PMs passam por treinamento para reconhecer essas solicitações de ajuda.


--Continua depois da publicidade--

Ele disse que um atendimento como esse é feito em diversas etapas. O policial que atende a ligação passa a ocorrência para um agente que está na mesa de controle, e é ele quem aciona os profissionais que vão prestar o socorro.

“Você pode até ter um policial com perspicácia no atendimento, mas se você não tiver um policial também qualificado para entender aquela ocorrência e passar para a viatura, também dá problema”, conta Edvá.

O coronel, no entanto, alertou que em situações de risco é preciso cautela na hora de pedir ajuda: “[a vítima deve ficar] avaliando cada momento, vendo se dá pra poder agir, se dá pra mandar um recado, por um papel, pra qualquer pessoa que seja. O que é importante dizer é que a pessoa não deve reagir. Se ela foi tomada por um assalto, por um roubo, por um furto, se ela está numa situação de desvantagem e, principalmente, que a vida dela esteja em risco, ela não pode reagir.”

O telefone da Polícia Militar em todo o Brasil é o 190.

Gustavo Praiadohttps://www.cenariomt.com.br
Atualmente, trabalha na equipe do portal CenárioMT, produzindo conteúdo sobre economia, esportes e direitos da população brasileira, gosta de assistir séries, filmes de ação e de videogames. Editor também em conteúdos regionais, sempre atento as tendências que o internauta procura para ficar bem informado.

Publicidade

Redes sociais

107,368FãsCurtir
17,057SeguidoresSeguir
2,125SeguidoresSeguir

Lucas do Rio Verde

apostas de MT
Lotofácil: aposta de Lucas do Rio Verde ganha prêmio no concurso 2426
janeiro 20, 2022
Lucas do Rio Verde
Gestão Municipal reorganiza e melhora fluxo de atendimento nos PSFs
janeiro 20, 2022
Lucas do Rio Verde
Inscrições para seletivos do IBGE terminam nesta sexta-feira (21)
janeiro 20, 2022
Lucas do Rio Verde
Gatinha ‘Amorosa’ é a primeira a passar por cirurgia na Unidade Permanente de Castração em Lucas
janeiro 20, 2022