22 C
Lucas do Rio Verde
segunda-feira, 04 julho, 2022
Publicidade
InícioMUNDOVaríola dos macacos: pessoas monitoradas no Rio não têm sintomas

Varíola dos macacos: pessoas monitoradas no Rio não têm sintomas

Cinco pessoas que tiveram contato com o homem diagnosticado com a doença têm sido monitoradas pela Secretaria Municipal de Saúde e não apresentaram sintomas até o momento.
Texto por Vinicius Lisboa - Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro

As cinco pessoas que tiveram contato com o homem diagnosticado com varíola dos macacos (monkeypox) no Rio de Janeiro não apresentaram sintomas até o momento, segundo informou hoje (18) a Secretaria Municipal de Saúde da capital fluminense.

De acordo com o órgão municipal, essas pessoas tiveram contato mais próximo e prolongado com o paciente, após o seu desembarque de um voo que veio de Londres no último dia 11. A secretaria atualiza ainda que o homem permanece com sintomas leves e isolado em casa, e que não há outros casos suspeitos da doença na capital.


--Continua depois da publicidade--

As principais formas de transmissão da varíola dos macacos são: contato com fluidos corporais, secreções respiratórias e com as lesões de pele de pessoas infectadas. Já os principais sintomas são febre, aumento dos gânglios e erupção cutânea.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) do Rio de Janeiro afirmou que tem apoiado o Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS) do município no monitoramento das pessoas já identificadas que tiveram contato com o paciente.

Ainda de acordo com a secretaria estadual, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) está levantando com a companhia aérea a lista dos passageiros que estavam no mesmo voo.

Até o momento, só há um caso confirmado da doença no estado. As autoridades sanitárias pedem que as pessoas que apresentem sintomas da doença procurem uma unidade de saúde para que sejam avaliadas.


--Continua depois da publicidade--

A secretaria acrescenta que o Ministério da Saúde recomenda o monitoramento dos contatos até o resultado dos exames laboratoriais nos casos suspeitos e por um período de 21 dias, desde o último contato, com paciente provável ou confirmado. Não há necessidade de isolamento dos contatos assintomáticos, mas eles não devem doar sangue, células, tecidos, órgãos, leite materno ou sêmen durante o monitoramento.

Além disso, a secretaria ressalta que, apesar de a doença ter sido identificada pela primeira vez em macacos, o surto atual não tem relação com esses animais.

Gustavo Praiado
Gustavo Praiadohttps://www.cenariomt.com.br
Atualmente, trabalha na equipe do portal CenárioMT, produzindo conteúdo sobre economia, esportes e direitos da população brasileira, gosta de assistir séries, filmes de ação e de videogames. Editor também em conteúdos regionais, sempre atento as tendências que o internauta procura para ficar bem informado.

Publicidade


Publicidade

Lucas do Rio Verde

Lucas do Rio Verde
Obra da escola do Parque das Emas segue em ritmo acelerado
julho 03, 2022
Lucas do Rio Verde
Campeonato Municipal de Futebol 7 entra na fase final
julho 03, 2022
CLASSIFICAÇÃO INÉDITA
Grupo Santos goleia em noite inspirada de Leozinho e garante vaga nas semifinais da Copa do Brasil
julho 03, 2022
Lucas do Rio Verde
Cultura realiza exposição de telas e quadros no Paço Municipal
julho 02, 2022