20.1 C
Lucas do Rio Verde
segunda-feira, 17 maio, 2021
InícioMUNDOPolícia no AM abre inquérito para apurar morte de idosa que recebeu...

Polícia no AM abre inquérito para apurar morte de idosa que recebeu nebulização com hidroxicloroquina

Por Eliana Nascimento, G1 AM

A Polícia Civil do Amazonas abriu uma investigação para apurar a morte de uma idosa de 71 anos que recebeu uma nebulização com hidroxicloroquina em um hospital de Itacoatiara, no interior do Estado. O tratamento não foi autorizado pela família e a idosa acabou morrendo após ser transferida para Manaus.

O delegado Lázaro Ramos informou que solicitou o prontuário médico da paciente ao hospital do município para checar as informações e deverá ouvir, nos próximos dias os profissionais de saúde que estiveram à frente do caso.


--Continua depois da publicidade--

O delegado disse que a filha da vítima explicou à polícia que, ainda na cidade, a mãe foi submetida à nebulização com o medicamento e que o tratamento não foi consentido pela família.

A mulher deu entrada no hospital em Itacoatiara, no dia 6 de fevereiro. Segundo a filha dela, que preferiu não se identificar, a mãe apresentou sintomas da Covid-19 e, até então, o estado de saúde dela não parecia tão grave. A filha também contou que só descobriu que a idosa recebeu o medicamento após pedir o prontuário médico.

Em nota, a Polícia informou que a filha compareceu à delegacia do município na sexta-feira (23) para comunicar a morte da mãe ocorrida no dia 13 de março, em Manaus.

A Secretaria de Saúde do Amazonas também deve investigar o caso. No domingo (25), o órgão informou em nota que “não compactua com a prática de qualquer terapêutica experimental sem comprovação científica. Ao tomar conhecimento, a SES-AM encaminhou ofício ao município solicitando que abra processo administrativo para apurar o caso, tendo em vista que Itacoatiara tem gestão plena em saúde e irá acompanhar o processo.”


--Continua depois da publicidade--

Casos em Manaus

 

Segundo a Secretaria de Saúde do Amazonas, pelo menos outras duas pacientes com Covid-19 foram submetidas a nebulização com hidroxicloroquina em uma maternidade em Manaus, em fevereiro, sendo que uma delas morreu. A Polícia Civil investiga a denúncia de que pelo menos três mulheres grávidas morreram após a nebulização.

A Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), vinculada ao Ministério da Saúde, informou que considera o tratamento realizado com cloroquina nebulizada em pacientes internados com Covid-19 em Manaus um experimento clandestino e sem autorização legal. Em nota, o órgão faz menção indireta às pesquisas com cobaias no nazismo.


Dayelle Ribeirohttps://www.cenariomt.com.br
Redatora do portal CenárioMT
- Publicidade -

Últimas no CenárioMT

Lucas do Rio Verde

SÃO E SALVO
Em ação rápida, bombeiros resgatam cachorro preso debaixo de contêiner em Lucas do Rio Verde
maio 16, 2021
CLASSIFICADO
Grupo Santos volta a vencer Sorriso e garante vaga na próxima fase da Copa do Brasil
maio 16, 2021