24 C
Lucas do Rio Verde
sexta-feira, 22 outubro, 2021
InícioMUNDOMato Grosso do SulCom falta de leitos e alta taxa de infecção, Mato Grosso do...

Com falta de leitos e alta taxa de infecção, Mato Grosso do Sul ultrapassa a marca de 200 mil casos

Por Redação CenárioMT

“Não há mais leitos de UTI disponíveis no Mato Grosso do Sul”. Esta foi a declaração feita pelo secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, durante a live desta sexta-feira (19). Tendo em vista a gravidade da atual situação, Resende pediu que toda população respeite as regras do novo decreto que sairá ainda hoje.

De acordo com os números do Boletim Epidemiológico o Estado atingiu a marca de 200.017 casos confirmados desde o início da pandemia. Neste momento 968 pessoas estão internadas e 11.101 estão em isolamento domiciliar.


--Continua depois da publicidade--

Do total de pacientes internados na rede hospitalar, 553 estão em leitos clínicos (363 públicos e 190 privados) e 415 em leitos de UTI (312 públicos e 103 privados).

A maioria dos municípios do MS está na fase vermelha, que indica o mais alto grau de contaminação. Campo Grande, que registra total de 80.650 casos, se encontra na fase cinza, a mais aguda, de acordo com os dados do Prosseguir.

Crescimento vertiginoso nos últimos sete dias

Com a nova variante, cuja transmissibilidade é duas vezes mais rápida, foram registrados 1.222 novos casos e 36 óbitos (total de 3.775), com taxa de letalidade em 1.9% e média móvel de 30.3 ao dia. Casos ainda sem encerramento são 8.182 e 2.771 exames estão em análise.


--Continua depois da publicidade--

Em apenas 19 dias o número de pessoas que não resistiram a doença já superaram o mês de fevereiro. A média móvel de casos foi para 1.083,9 e de acordo com a secretária-adjunta da SES, Christine Maymone, o número deve continuar subindo. “Estamos numa proporção ascendente e geométrica”, declarou.

Munícipios com maiores números

Os cinco municípios com maior número de novos casos são: Campo Grande com 330; Três Lagoas +152; Dourados +110; Paranaíba +60 e Corumbá com mais 53.

Entre as nove cidades que perderam seus pacientes, a Capital registrou o maior número: 21 pessoas não resistiram ao novo coronavírus. Em Dourados foram 4 óbitos, Camapuã 3, Sonora e Naviraí 2. São Gabriel do Oeste, Ponta Porã, Sidrolândia e Três Lagoas, tiveram uma morte cada.

A ocupação de leitos nas cinco macrorregiões do Estado é a seguinte: Campo Grande com 105% (62% pacientes com Covid-19); Dourados 80% (47% Covid-19); Três Lagoas 94% (51% Covid-19) e Corumbá 100% (67% Covid-19). O restante dos leitos está ocupado por pacientes com suspeita do novo coronavírus e com outras enfermidades.

Christine Maymone chamou a atenção para a temporada de chuvas que pode provocar aumento no número de doentes com Dengue, fato que pode sobrecarregar ainda mais o sistema de saúde. E como explicou o secretário Geraldo Resende, montar mais leitos hospitalares não é algo simples. Além de equipamentos sofisticados é necessário ter profissionais capacitados. Com médicos em falta em todo o País, Resende é taxativo: “Não temos mais como abrir leitos de UTI”.

Acesse aqui o Boletim completo.

Theresa Hilcar, Subcom


--Continua depois da publicidade--

Foto-Saul Schramm

© CenárioMThttps://www.cenariomt.com.br
CenárioMT - Publicamos notícias diariamente no portal!

Redes sociais

107,348FãsCurtir
17,057SeguidoresSeguir
2,067SeguidoresSeguir

Lucas do Rio Verde

SOLIDARIEDADE
Lucas do Rio Verde: Empresa realiza campanha para atender famílias carentes: troque alimentos por flores
outubro 22, 2021
HOSPITAL SÃO LUCAS
Finalizado curso para formação de brigada contra incêndio
outubro 22, 2021
PEGO COM ARMA DE BRINQUEDO
Homem é preso após tentar roubar residência com arma de brinquedo em Lucas do Rio Verde
outubro 22, 2021
Lucas do Rio Verde
Equipes do Programa Viva Lucas participam dos Jogos Estudantis de Seleções Mato-grossenses
outubro 22, 2021