29 C
Lucas do Rio Verde
quinta-feira, 25 fevereiro, 2021
Início MUNDO Infectado com variante do coronavírus morre no Rio de Janeiro

Infectado com variante do coronavírus morre no Rio de Janeiro

Por G1 Rio

Um homem de 55 anos morreu após testar positivo para a variante brasileira do coronavírus no RJ. O óbito foi confirmado nesta terça-feira (17), em coletiva conjunta dos secretários de Saúde Carlos Alberto Chaves (do estado) e Daniel Soranz (do município).

A vítima é de Belford Roxo, na Baixada Fluminense. A Secretaria Estadual de Saúde vai investigar o quadro clínico para saber que impactos a mutação teve no organismo do paciente.


--Continua depois da publicidade--

Também nesta terça, o estado confirmou que foi detectada a variante do Reino Unido no RJ. É a quinta pessoa no estado com variante da Covid-19.

O estado tem cinco casos, de duas variantes.

P1, a variante brasileira:

  • Homem de 55 anos, de Belford Roxo — morte;
  • Homem de 46 anos, de Manaus;
  • Homem de 40 anos, do Rio;
  • Homem de 30 anos, do Rio.

 


--Continua depois da publicidade--

VOC 202012/01, a variante do Reino Unido:

  • Mulher de 36 anos, do Rio.

 

O coronavírus que mutou no Brasil, catalogado como P1, foi identificado primeiro em Manaus. Segundo especialistas, é mais transmissível, embora não se tenha confirmação de que seja mais letal.

Segundo o governo federal, até a última segunda-feira (15) foram confirmados 170 casos da nova variante em dez estados, entre eles o Rio.

Os pacientes detectados com a nova cepa da doença foram identificados no Hospital de Laranjeiras, na Zona Sul, e no Hospital do Andaraí, na Zona Norte.

Ambos negaram a possibilidade de antecipar a segunda dose da vacina contra a Covid-19.

“Não anteciparemos a segunda dose a não ser que o Ministério da Saúde tenha alguma orientação”, disse Soranz. “[Seria] Totalmente contrário ao Programa Nacional de Imunização (PNI)”, pontuou Chaves.

Questionado se está faltando coordenação de informações com o Ministério da Saúde, Chaves respondeu: “Acho que está.”

Sem informação de origem

 

Segundo um laudo da Fiocruz, não há confirmação se a transmissão da mutação brasileira ocorreu em solo fluminense ou se essa amostra é de alguém que pegou a variante em outro lugar e ficou doente no RJ.

“Nós temos diferentes desfechos clínicos relacionados a essa variante, tanto casos brandos quanto casos graves. Não temos dados estatísticos que podemos definir como uma variante mais letal”, explicou a infectologista Paola Resende.

 

Segundo a fundação, apenas uma investigação epidemiológica vai apontar a origem do vírus — a cargo das secretarias de Saúde e do Ministério da Saúde.



Dayelle Ribeirohttps://www.cenariomt.com.br
Redatora do portal CenárioMT
- Publicidade -

Últimas no CenárioMT

Lucas do Rio Verde

ENSINO SUPERIOR
Lucas: Em tempos de pandemia, IFMT realiza defesa de TCC de modo virtual
fevereiro 25, 2021
Geral
Prefeito Miguel assina termo de acordo que estabelece incentivos para a construção de nova Central Hidrelétrica
fevereiro 25, 2021