21.9 C
Lucas do Rio Verde
segunda-feira, 19 abril, 2021
InícioMUNDODistrito Federal tem 312 pessoas com Covid aguardando leito de UTI

Distrito Federal tem 312 pessoas com Covid aguardando leito de UTI

Por G1 DF e TV Globo

O Distrito Federal atingiu neste sábado (20) o maior número de pessoas com Covid-19 aguardando por um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), desde que os dados passaram a ser divulgados pela Secretaria de Saúde do DF.

Ao todo, 312 pessoas estão na fila – 101 estão com prioridade 1, ou seja, com urgência. Conforme o último boletim divulgado às 22h, tem paciente aguardando transferência há 11 dias.


--Continua depois da publicidade--

Questionada na última sexta-feira (19) sobre a quantidade de óbitos que ocorreram de pessoas que não estavam em leito de UTI, a Secretaria de Saúde respondeu :

— “Não há nenhum relato de que paciente tenha vindo a óbito na fila de espera por leito de UTI em consequência de desassistência. Não há nenhum paciente desassistido no DF”, informou a nota da SES-DF

“Minha avó se foi sem dignidade”

Mas por causa da demora para conseguir UTI, familiares relatam que pessoas estão morrendo aguardando atendimento. É o caso de Terezinha de Lima Almeida, de 81 anos. Ele foi internada na última segunda-feira (15) em estado grave no Hospital Regional de Planaltina (HRP).

Segundo o neto dela, o servidor público Vinícius Castro, Terezinha deu entrada com insuficiência respiratória e foi entubada, mas precisava de leito de UTI.

“Nós conseguimos uma liminar na Justiça e o juiz determinou que o GDF conseguisse um leito de UTI num prazo máximo de 24 horas, o que não foi cumprido. Infelizmente nessa última noite minha avó se foi, sem dignidade”, relatou.

No dia em que deu entrada no hospital, o exame de PCR para identificar Covid-19 deu negativo, porém, segundo o sobrinho, ela foi internada na mesma ala com pacientes infectados. Na certidão de óbito aparece que a causa da morte foi por “insuficiência respiratória” e “Covid a esclarecer”.


--Continua depois da publicidade--

“Infelizmente nossa vida não está valendo nada e estamos vivendo num cenário de guerra. Eles não vão fazer necrópsia, nada. Só decretaram a morte, colocaram num saco como se fosse um lixo e infelizmente a gente não pode sepultar hoje [neste sábado] porque não tinha vaga no cemitério”.

“Não vamos poder velar o corpo da minha avó porque ela estava na ala de pessoas infectadas pela Covid. Estamos privados de despedir da minha avó de uma forma digna”, complementou Vinícius.


Dayelle Ribeirohttps://www.cenariomt.com.br
Redatora do portal CenárioMT
- Publicidade -

Últimas no CenárioMT

Lucas do Rio Verde

CLÁSSICO REGIONAL
LEC x Nova Mutum vão medir forças nas quartas de final do Mato-grossense
abril 19, 2021
SAÚDE
Mais dois moradores de Lucas do Rio Verde morrem por Covid-19
abril 19, 2021