Jiboia branca é a cobra que vale US$ 1 milhão de dólares; Conheça

Fonte: CenarioMT

Jiboia branca
Jiboia branca é a cobra que vale US$ 1 milhão de dólares

Conheça a jiboia branca em vídeo produzido pelo Biólogo Henrique Abrahão – O Biólogo das Cobras. (assista abaixo).

A jiboia foi encontrada em 2006 no meio da mata, no Rio de Janeiro, e levada para o zoológico da cidade de Niterói. Logo ficou famosa e chegou a ser avaliada em US$ 1 milhão, mas não podia ser vendida.

Você pode gostar: Encontrado uma enorme jibóia que teve de ser içada com um guindaste

Mundo Animal direto no seu WhatsApp!

Acesse o Mundo Animal no WhatsApp e receba conteúdos incríveis sobre animais: curiosidades, vídeos, fotos e muito mais! Explore o mundo selvagem e aprenda com a gente!

[-CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE-]

Mas um criador americano, Jeremy Stone, ficou sabendo da existência desse exemplar raro. “O Jeremy traficou a serpente pra lá. Ele comprou a serpente nacional por R$ 500 mil. E o Jeremy Stones vendia filhotes de serpente entre US$ 25 e US$ 30, US$ 40 mil”, afirmou o agente ambiental federal Roberto Cabral Borges, ao portal G1.

Para recuperar a jiboia, foi firmada uma parceria entre policiais brasileiros e americanos. “Lá, a polícia norte-americana encontrou 8 filhotes da cobra que então tinha sido contrabandeada. E esses filhotes foram recuperados e guardados pelas autoridades norte-americanas”, diz o secretário Nacional de Justiça, Beto Vasconcelos.

Assista ao vídeo do Biólogo Henrique, que fala sobre a jiboia branca:

YouTube video

Conheça mais sobre cobra jiboia

jiboia-constritora (Boa constrictor), ou simplesmente jiboia, é uma espécie de serpente grande e não peçonhenta que é frequentemente mantida e reproduzida em cativeiro. A jiboia é membro da família Boidae e encontrada em regiões tropicais da América do Norte, Central e do Sul, assim como em algumas ilhas no Caribe. Nove subespécies são atualmente reconhecidas, embora algumas sejam controversas.

No Brasil, existem duas subespécies: a Boa constrictor constrictor (Forcart, 1960) e a Boa constrictor amarali (Stull, 1932). A primeira é amarelada, de hábitos mais pacíficos e própria da região amazônica e do nordeste. Pode chegar a um tamanho adulto de até 4 metros, embora raramente atinja essa marca. A segunda, jiboia-amarali, pode ser encontrada mais ao sul e sudeste e algumas vezes em regiões mais centrais do país. Pode chegar a um tamanho adulto de 2 metros.

É basicamente um animal com hábitos noturnos (o que é verificável por possuir olhos com pupila vertical), ainda que também tenha atividade diurna.

Jiboia branca é a cobra que vale US$ 1 milhão de dólares.

É considerado um animal vivíparo porque, no final da gestação, o embrião recebe os nutrientes necessários do sangue da mãe. Alguns biólogos desvalorizam essa parte final da gestação e consideram-na apenas ovovivípara porque, apesar de o embrião se desenvolver dentro do corpo da mãe, a maior parte do tempo é dedicada à incubação num ovo separado do corpo materno.

A gestação pode levar meio ano, podendo haver de 12 a 64 crias por ninhada, que nascem com cerca de 48 centímetros de comprimento e 75 gramas de peso.

Detecta as presas pela percepção do movimento e do calor e as surpreende em silêncio. Alimenta-se de pequenos mamíferos (principalmente ratos), aves e lagartos que mata por constrição, envolvendo o corpo da presa e sufocando-a. A sua boca é muito dilatável e apresenta dentes serrilhados nas mandíbulas, dentição áglifa. A digestão é lenta, normalmente durando sete dias e podendo estender-se a algumas semanas, período durante o qual fica parada, num estado de torpor.

[-CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE-]

Animal muito dócil, apesar de ter fama de perigoso; não é peçonhento (apesar de sua mordida ser dolorosa e poder causar infecção) e não consegue comer animais de grande porte, sendo inofensiva para eles.

É muito perseguida por caçadores e traficantes de animais, pois tem um valor comercial alto como animal de estimação, além de sua pele poder ser usada na confecção de artefatos de couro. Uma jiboia nascida em cativeiro credenciado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) pode custar de 1 050 a 6 000 reais, às vezes mais, de acordo com sua coloração.

Existe um mercado negro de animais silvestres no Brasil, pois as leis dificultam sua criação em cativeiro, apesar do baixo risco de acidentes envolvidos na criação deste animal. O IBAMA suspendeu a licença para venda de jiboias no Estado de São Paulo, apesar de os estudos internacionais demonstrarem que o comércio regulamentado é a maneira mais eficiente de se combater o tráfico de animais exóticos.

A Cobra Jiboia Branca de 1 milhão de dólares?

Se você gostou deste post: Jiboia branca a cobra de US$ 1 milhão de dólares; conheça agora   – vai gostar também de ler esta notícia: Rottweiler salva outros cães durante enchente; assista

Rodrigo é um profissional altamente qualificado em Ciência da Computação formado pela Universidade de Cuiabá (UNIC), uma das principais instituições de ensino em Mato Grosso. Com sua paixão pela tecnologia desde cedo, ele conquistou uma sólida base em programação, algoritmos e análise de sistemas. Durante sua jornada acadêmica, Rodrigo se destacou não apenas por seu desempenho acadêmico excepcional, mas também por sua participação ativa em projetos de pesquisa e desenvolvimento. Sua habilidade em resolver desafios complexos e sua busca contínua por aprendizado fazem dele um profissional promissor na área de TI, sempre buscando inovação e excelência.