24.1 C
Lucas do Rio Verde
quinta-feira, 22 outubro, 2020
Início CENÁRIO AGRO Valor agregado de produtos mato-grossenses exportados cresce 4,7% entre 2019 e 2020

Valor agregado de produtos mato-grossenses exportados cresce 4,7% entre 2019 e 2020

A valorização do dólar influenciou positivamente a balança comercial do Estado
Por CenárioMT

Dados do Observatório de Desenvolvimento do Estado, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec-MT) mostram que o valor agregado dos produtos mato-grossenses exportados pelo setor rural teve aumento de 4,7%, entre os anos de 2019 e 2020. Até agosto deste ano a comercialização desses produtos também cresceu e o faturamento foi 8,5% maior.

A valorização do dólar influenciou positivamente a balança comercial do Estado. Em 2019, a participação total dos produtos que puxam a economia de escala na pauta mato-grossense de exportações perfez US$ 17,2 bilhões, superior aos US$ 16,4 bilhões de 2018. Esse saldo positivo mostra o aumento da comercialização associado ao aumento de valor agregado do complexo soja (grão, óleo e farelo), do segmento da carne e de outros produtos industrializados.


-Continua depois da publicidade ©-

“Mesmo com o período da pandemia, Mato Grosso segue se consolidando como um grande Estado exportador e se mantém na liderança entre os que são os grandes exportadores do país. Os US$ 12,8 bilhões em negócios firmados de janeiro a agosto desse ano de toda a pauta mato-grossense exportada mostram que a produção já é maior que do ano passado, que foi de US$ 11,8 bilhões”, destacou César Miranda, secretário de Desenvolvimento Econômico.

Os principais produtos in natura e os de valores agregados totalizaram mais de 22 milhões de toneladas dos embarques, equivalente a cerca de US$ 9,5 bilhões em comercialização dos produtos do agronegócio (que inclui soja, algodão e proteína animal). O complexo soja participa com 57%, o algodão com 8%, o feijão com 0,5% e complexo proteína animal participa com 9,3%. No mesmo período do ano passado a quantidade da produção foi de mais de 18 milhões de toneladas, comercializados a US$ 7,8 bilhões.

Desses produtos, o feijão vem consolidando o crescimento das culturas dos “pulses” em Mato Grosso. A exportação de feijão teve um aumento de 19,89% no seu valor comercializado, chegando a U$$71,6 mi comparado com o ano de 2018. O mercado de grão, nos primeiros oito meses de 2020, já se apresentou 3% maior em relação a 2019, no quesito valores comercializados. Em moeda esse acréscimo representa U$$8,7 bi, sendo vendido em 2019 U$$ 8,4 bi.

Em comparação com a produção dos outros Estados brasileiros, Mato Grosso segue destacando os bons resultados na última safra das culturas de soja, milho e algodão, com aumento de 7%, 6% e 2% em toneladas, respectivamente. A análise da equipe da Superintendência de Agronegócio da Sedec revela que as culturas de amendoim, feijão, gergelim e sorgo estão ganhando espaço nas lavouras do Estado.

Das proteínas animais, a carne bovina aumentou a produção de 215 mil toneladas para 257 mil toneladas no comparativo dos meses de janeiro a agosto entre 2019 e 2020. Este montante significa acréscimo de 19,3% da produção e mostra outro saldo positivo para a comercialização de 35,5% do valor recebido pelos produtores. Este acréscimo no valor comercializado também foi sentido no total da quantidade vendida aos mercados estrangeiros.

De acordo com o levantamento do Observatório do Desenvolvimento, em 2020, os primeiros oito meses atingiu 71% de carne bovina comercializada com o mercado internacional em todo o ano de 2019, isso já representa um total de U$$ 1,08 bilhão transacionado com os mercados internacionais.

Nesse rol de bons resultados de produção e de comercialização no segmento carne, a suína também se destacou, com incremento de 72% na produção entre 2018 e 2019, com registros de 7,3 mil toneladas do produto e 12,6 mil toneladas respectivamente. O valor da comercialização da carne suína teve um incremento de 65% entre os períodos comparativos. Já na verificação entre os anos de 2019 e 2020 houve um aumento expressivo para as exportações de carne suína em aproximadamente 250%, indo de U$$ 10,9 mi para U$$ 38,3 mi. Este aumento no valor comercializado representou um crescimento de 263% no peso transportado.

Incentivo

O Governo de Mato Grosso reconhece a potencialidade econômica do Estado e tem desenvolvido políticas públicas para fomentar, atrair e impulsionar novos investimentos no setor agrícola e agroindustrial através dos programas de incentivos fiscais. Um deles é o Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial de Mato (Prodeic), que tem como principal objetivo contribuir para verticalização do processo industrial. Outro é o Programa de Desenvolvimento Rural de Mato Grosso (Proder), que promove a integração das atividades agropecuárias de MT.

O Programa de Incentivo ao Algodão de Mato Grosso (Proalmat) é mais um dos que visam promover o processo de verticalização e agroindustrialização do Estado. Há também o Fundo de Financiamento do Centro-Oeste (FCO), realizado em parceria com o Governo Federal com o intuito de financiar o setor agropecuário e agroindustrial, visando o desenvolvimento econômico das principais regiões produtoras.

Apesar da produção de soja, milho e algodão estarem no topo da produção mato-grossense, é também cultivado no solo estadual outras variedades, como a cana-de-açúcar, o arroz, feijão, sorgo, gergelim, girassol e amendoim. Milho e soja compõem 92,3% da safra de grãos do Estado de Mato Grosso e a expansão de suas produções se consolidam, principalmente em função das plantas industriais de etanol de milho que se instalam no território.

O levantamento do Observatório do Desenvolvimento mostra que o Estado conta com 12 plantas de etanol, das quais a metade utiliza o milho como matéria-prima, além de outras plantas de biocombustíveis, em que a soja é um dos componentes.

Projeção

O setor agropecuário continuará contribuindo com o crescimento do potencial de mercado de Mato Grosso e assim puxará o desenvolvimento de outras atividades da economia no estado. Dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) mostram elevação da produção na agricultura e da pecuária, consequentemente do atendimento das necessidades do mercado interno e externo, bem como da força econômica do setor para superar crises como da pandemia do coraonavírus e outras que poderão existir.

“As informações divulgadas reforçam que o Governo de Mato Grosso está no caminho de fomentar agregação de valor na produção mato-grossense através de atração de investidores, da verticalização da produção agrícola e dos incentivos para a agroindústria”, afirmou César Miranda.

A projeção do Imea é de que Mato Grosso mantenha a liderança nos próximos dez anos na produção de soja, milho, algodão e proteína animal.



© CenárioMThttps://www.cenariomt.com.br
CenárioMT - Publicamos notícias diariamente no portal!
- Publicidade -

Últimas

Kassio Nunes Marques é aprovado na CCJ do Senado para vaga no STF

O desembargador Kassio Nunes Marques, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), teve sua indicação ao Supremo Tribunal Federal (STF) aprovada na tarde...

Armas de fogo apreendidas por disparo ermo, em abordagem e transportada irregularmente

Policiais militares encaminharam à delegacia nesta segunda-feira (19.10), três homens por porte ilegal de arma de fogo e um terceiro cidadão por transporte irregular. Em...

Ministro da Saúde testa positivo para covid-19

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, testou positivo para covid-19, segundo nota divulgada nesta quarta-feira (21) pela própria pasta. De acordo com o comunicado, ontem...

Dupla de Stefani se classifica à semifinal de WTA de Ostrava

A paulistana Luisa Stefani e a nova parceira, a canadense Gabriela Dabrowski, avançaram à semifinal de duplas no WTA de Ostrava (República Tcheca), após vencerem...