O feito foi elogiado ontem (25), durante um treinamento on line que contou com a participação dos diretores da Teoria Verde, Jean Peliciari; e da Biomavi Reciclagem, Lucas Martinez, parceiros do projeto no município. Sorriso é o terceiro de Mato Grosso a integrar a ação.

O encontro virtual contou com a participação de diretores, coordenadores e professores de todas as unidades que participam do projeto e contam com contêineres onde é feito o armazenamento do resíduo.

De acordo com o diretor da Teoria Verde, o município se tornou referência no Estado na coleta e destinação correta do óleo de cozinha residual, frente aos municípios de Cuiabá e Várzea Grande, que também aderiram ao LEVO. “Em tão pouco tempo, Sorriso já se destaca em âmbito estadual na coleta do óleo, superando a meta de municípios maiores. Isso é resultado do engajamento de todos envolvidos nessa ação e da divulgação do trabalho que vem sendo feito. Tomando Sorriso como modelo, outros municípios estão buscando aderir ao projeto. Se continuar assim, logo se tornará referência nacional, como município exemplo de sustentabilidade”, disse Jean.

Para garantir o destino correto deste resíduo, tanto de restaurantes, lanchonetes, ou de residências, a Prefeitura disponibiliza pontos de coleta de óleo de cozinha usado para reciclagem. A iniciativa também conta com a parceria da FS Bioenergia no município, que fez a doação dos contêineres para acondicionar óleo recebido até a coleta. O recolhimento é feito pela Biomoavi e, para cada litro de óleo residual arrecadado, a unidade escolar recebe R$ 0,75. Os recursos são investidos na própria unidade. Além do incentivo financeiro, a Teoria Verde promove ações de educação ambiental nas escolas, amplificando assim o trabalho para sensibilizar as novas gerações sobre a necessidade de um modo de vida mais sustentável.

Para destinar o resíduo é bem simples: é preciso aguardar o óleo esfriar, colocar em uma garrafa pet (que também será reciclada), e levar aos pontos de coleta, de segunda à sexta-feira, das 6h30 às 18 horas. Para fazer a entrega, a garrafa precisa estar cheia e o resíduo só pode ser composto por óleos vegetais, visto que a banha de porco, por exemplo, inviabiliza o processo.