29.5 C
Lucas do Rio Verde
sexta-feira, 04 dezembro, 2020
Início CENÁRIO POLÍTICO AL-MT Projeto prevê mais direitos às pessoas com lúpus em Mato Grosso

Projeto prevê mais direitos às pessoas com lúpus em Mato Grosso

Por CENÁRIOMT

De acordo com a Sociedade Brasileira de Reumatologia, estima-se que no Brasil existam cerca de 65.000 pessoas com lúpus, sendo a maioria mulheres. De modo igual, acredita-se assim que uma a cada 1.700 mulheres no Brasil tenha a doença. O Lúpus Eritematoso Sistêmico é uma doença autoimune que pode afetar a pele, os rins, o cérebro e outros órgãos.

Buscando melhores condições de vida para as pessoas diagnosticadas com essa doença, o deputado estadual Paulo Araújo (Progressistas) apresentou o Projeto de Lei n° 843/20 que equipara o Lúpus às deficiências físicas e intelectuais, para os efeitos jurídicos em Mato Grosso.

Em parágrafo único da propositura, ficam assegurados às pessoas portadoras do lúpus, os mesmos direitos e garantias dos benefícios sociais das pessoas com deficiência física ou intelectual previstos na Constituição brasileira.

“Atualmente quem é diagnosticado com lúpus, não possui nenhum direito, nem mesmo o de se aposentar. A proposta do nosso projeto é poder oferecer condições dignas a essas pessoas”, argumentou Paulo Araújo, que é membro da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT).

De acordo com o artigo 2° do Projeto de Lei, as despesas resultantes da aplicação desta Lei correrão à conta de dotações previstas no orçamento vigente.

Lúpus – A doença, provavelmente, resulta da interação de fatores genéticos, hormonais, ambientais e infecciosos que levam à perda da tolerância imunológica com produção de autoanticorpos. Assim, o lúpus pode ocorrer em pessoas de qualquer idade, raça e sexo, porém as mulheres são muito mais acometidas. Ocorre principalmente entre 20 e 45 anos, sendo um pouco mais frequente em pessoas mestiças e nos afrodescendentes.

Os sintomas do lúpus são diversos e tipicamente variam em intensidade, de acordo com a fase de atividade ou remissão da doença. É muito comum que a pessoa apresente manifestações gerais como cansaço, desânimo, febre baixa, emagrecimento e perda de apetite. A doença ainda não tem cura e seu tratamento além de caro é muito intenso, trabalhoso e dificultoso.

A mortalidade de um portador de lúpus é de cinco a dez vezes maior do que na população em geral, mesmo sob tratamento. De 18% a 33% enfrentam situação tão crítica que se tornam incapazes para o trabalho. Ou seja, um terço dos doentes, em idade ativa, não pode exercer atividades laborais.



Dayelle Ribeirohttps://www.cenariomt.com.br
Redatora do portal CenárioMT
- Publicidade -

Últimas

Quatro pessoas são detidas em ação contra maus tratos a idosos

Policias civis de todas as unidades federativas prenderam, até as 10h desta sexta-feira (4) quatro pessoas, em meio à apuração de 1.656 denúncias no...

Sine Municipal de Cuiabá oferta 89 vagas de emprego

O Sine de Cuiabá oferece 89 vagas de emprego. As oportunidades são para todos os níveis de escolaridade. Uma das vagas é para técnico...

Libertadores: Conmebol divulga datas e horários das quartas de final

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) divulgou nesta sexta-feira (4) os dias e horários dos jogos de ida e volta pelas quartas de final da...

Cuiabá: veja o que irá funcionar no feriado municipal de Nossa Senhora da Conceição

Na próxima terça-feira (08), Dia de Nossa Senhora Imaculada da Conceição, é feriado em Cuiabá. A data, dedicada à padroeira da Capital, é considerada...
Publicidade
x