Produtor financia atividade com recursos do Pronaf em Barra do Bugres

Financiou um trator e uma grade aradora com 14 discos para auxiliar na recuperação e formação de pastagem

0
Os produtores vão recuperar e reformar 77 hectares de pastagem e plantio de cana-de-açucar. - Foto por: Extensionista | Empaer

Com recursos na ordem de R$ 145 mil do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) Mais Alimentos, o produtor rural, Jair Gervazoni (74), proprietário do Sítio Santa Maria, que possui uma área de 121 hectares, localizada na Comunidade Brejão, no município de Barra do Bugres (168 km a Médio-Norte de Cuiabá), financiou um trator e uma grade aradora com 14 discos. Em parceria com o seu filho, o produtor Everaldo Leandro Gervazoni (31), os equipamentos serão utilizados para recuperação e formação de pastagem e plantio de cana-de-açúcar numa área de 77 hectares.

Com um plantel de 150 cabeças de gado nelore, os produtores no momento estão alugando pastos para manter a atividade. Conforme o produtor Jair, esse recurso do crédito rural que possibilitou a aquisição dos equipamentos chegou em boa hora. “Vamos reformar e recuperar quase toda a área de pastagem que está totalmente degradada, aumentar o plantio de cana-de-açúcar e tratar os animais no cocho. O trabalho manualmente é muito difícil e pagar para terceiros realizar o serviço fica muito caro”, esclarece.


-Continua depois da publicidade ©-

Devido à degradação da pastagem, os produtores gastam R$ 1.400 por mês, com aluguel do pasto para apenas 40 animais. Os produtores comercializam o gado com 36 meses de idade e acima de 16 arrobas para os frigoríficos. Os bezerros são vendidos para os pecuaristas da região com oito a doze meses por R$ 1.900 a unidade. Conforme Everaldo, a intenção é implantar pastos rotacionados até o final de 2020.

O projeto de crédito foi elaborado pelos técnicos da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer). O extensionista da Empaer, Sebastião Lima Soares, fala que os equipamentos vão otimizar a atividade na propriedade e consequentemente aumentar a produtividade. Ele explica que  crédito rural configura  em uma oportunidade para direcionar a assistência técnica. “O recurso por meio do crédito possibilita o desenvolvimento das atividades e a evolução dos produtores”, ressalta.

Plantel de 150 cabeças de gado nelore

O extensionista da Empaer, Irapuan Rodrigues da Silva, destaca que para reverter a situação da pastagem será feito um planejamento forrageiro com a finalidade de dimensionar a quantidade e qualidade de alimentos que serão produzidos na propriedade. A previsão é implantar 12 piquetes rotacionados, duas áreas de alimentação para os animais, plantio de capineira para suplementação do gado no período da seca e outras ações de manejo alimentar do rebanho. “Com isso esperamos intensificar mais a produção, podendo chegar a até quatro Unidades Animal por hectare, evitar o custo de arrendamento e aumentar o volume de venda dos animais”, salienta Irapuan.

Conforme Silva, a técnica de manejo rotacionado permite maior produtividade, facilidade de manejo, controle dos custos e conservação ambiental. A ideia do piquete rotacionado é dividir áreas grandes em pequenas, de acordo com o tempo de descanso, ocupação e a quantidade de animais.  Na área cercada, os animais consomem, em um intervalo de 12 a 36 horas, o capim disponível. No dia seguinte, são conduzidos para o próximo piquete. Enquanto o gado completa o circuito do pasto rotacionado, o capim dos primeiros piquetes se recupera.

O gerente do Banco do Brasil no município, Diego Santos de Jesus participou da entrega dos equipamentos, que foi realizada no mês de julho, no Sítio Santa Maria. “Esse é o primeiro projeto para aquisição de trator e equipamentos de muitos que virão e o Banco irá conduzir com atenção e responsabilidade. A instituição está de portas abertas para os agricultores familiares”, destaca Diego.

Leia também: Resultado das loterias de hoje (23/09/2020)


Amazonia 03 de Junho