Procon alerta pais para perigos de acidentes domésticos

0

O Procon faz um alerta a todos os pais para que fiquem atentos quanto à presença das crianças, em casa, durante esse período de pandemia que assola a cidade, o país e o mundo. A diretora do Órgão de Defesa do Consumidor, Juliana Baptista, ilustra que, com a suspensão das aulas, as crianças têm passado muito mais tempo em casa e, muitas vezes, sem a presença dos pais. “Precisamos ficar atentos para os acidentes de consumo doméstico”.

De acordo com a advogada, não são apenas os pequenos que merecem atenção com chupetas, mamadeiras e brinquedos pequenos. Os cuidados devem seguir redobrados até, pelo menos, 14 anos, que é o que prevê o Instituto de Pesos e Medidas de Mato Grosso (IPEM). Os acidentes de consumo podem estar relacionados a vários fatores e são caracterizados quando uma pessoa é afetada em sua saúde, como por exemplo, quando uma panela de pressão explode em decorrência da válvula que não ofereceu a segurança necessária.

Na atenção, a diretora pede que os pais observem que, antes de dar um brinquedo novo, é necessário ler o rótulo e respeitar a indicação de idade mínima certificada pelo INMETRO. “Existe uma série de coisas pequenas que podem ser nocivas à saúde da criança e do adolescente. É a tampa de uma caneta que se solta e pode ser engolida, um telefone celular que pode explodir, uma estante ou uma televisão que podem cair, entre outros”.

No ano passado, esse trabalho foi realizado em cerca de 16 escolas da rede municipal de educação. As crianças passaram o mês de junho recebendo palestras sobre o tema e como evitar surpresas desagradáveis. “A Rede de Consumo Seguro e Saúde de Mato Grosso (RCSS/MT) institui uma semana para que seja trabalhado o tema, mas nós sempre preferimos intensificar e utilizar um mês inteiro para que a abrangência seja maior. Esse ano, infelizmente, não tivemos como chegar aos alunos por causa da situação que enfrentamos mas, ainda assim, reforçamos para que os pais fiquem atentos aos perigos e façam esse papel de zelar a alertar para os perigos ocultos”.

De acordo com o site www.criancasegura.org.br, ligado ao Ministério da Saúde, as maiores vitimas de acidentes domésticos, no Brasil, são crianças de zero a 14 anos. São, pelo menos 3,7 mil crianças mortas e outras 113 mil hospitalizadas.

Veja o ranking dos principais acidentes que mais mataram e feriram crianças no país, em 2018:

Trânsito (1.292), afogamento (913), sufocação (826), queimadura (209), queda (183), intoxicação (74), outros (236).

Leia também: Previsões para o horóscopo do dia de hoje (04/08/2020)


Amazonia 03 de Junho