Polícia Militar lamenta o falecimento de sargento e cabo da reserva remunerada

O Comando Geral da PM presta solidariedade e condolências aos familiares, amigos e colegas de trabalho dos militares

0
Arquivo - Foto por: PMMT

O Comando Geral da Polícia Militar de Mato Grosso comunica com profundo pesar o falecimento, na manhã desta sexta-feira (07.08), dos policiais da reserva remunerada sargento Ney Antônio Pereira de Souza (de 63 anos) e do cabo Milton Arcanjo Santana (62 anos), nas cidades de Barra do Garças e Cuiabá.

O sargento Ney Antônio de Souza estava internado desde o dia 8 de maio no Hospital Santa Rosa, na capital, depois de sofrer uma queda acidental na rampa de uma loja em Várzea Grande. A fatalidade agravou o quadro de saúde do policial, que sofreu traumatismo craniano e fraturou uma costela.


-Continua depois da publicidade ©-

Há dez dias o paciente que estava internado há três meses no hospital recebeu o diagnóstico positivo para Covid-19 e precisou ser entubado. O policial faleceu por volta 5 horas da manhã em decorrência de um acidente vascular cerebral (AVC), seguido de uma parada cardiorrespiratória.

O policial ingressou na Polícia Militar em junho de 1979 e já estava na reserva remunerada quando decidiu voltar a atividade militar, só que dessa vez para atuar no setor patrimonial da instituição na sede do Quartel Geral da PM. Antes de entrar para reserva, o sargento prestou serviços militares em diversas unidades da corporação e órgãos como o Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

Também, a PM lamenta profundamente a perda e presta condolências à esposa do sargento, Maria Nascimento de Souza, suas duas filhas e o primeiro neto do militar que, devido ao acidente, não chegou de conhecer, já que estava hospitalizado. O sepultamento do sargento ocorrerá no Cemitério Bom Jesus no bairro Parque Cuiabá, na capital.

Em Barra do Garças

A corporação perdeu mais um dos seus homens, cabo Milton Arcanjo de Santana faleceu no Pronto Socorro Municipal às 4 horas da manhã, depois de passar mal em casa e sofrer uma parada cardiorrespiratória.

O policial que era diabético, há oito dias havia sofrido um infarto. Ele ficou internado e teve o lado esquerdo do corpo paralisado, e recebeu alta médica.  Em casa, o cabo PM estava passando por sessões de fisioterapia para recuperar os movimentos do corpo.

Cabo Santana estava na reserva remunerada há 12 anos, ele serviu e protegeu a sociedade à frente da PM por mais de 24 anos.  O militar deixa quatro filhos e netos. O sepultamento será realizado no Cemitério Jardim Nova Barra, no município onde residia.

A Polícia Militar presta solidariedade aos familiares, amigos e colegas de trabalho do cabo Santana e transmite as condolências neste momento difícil para todos da corporação e familiares.

Leia também: Resultado das loterias de hoje (25/09/2020)


Amazonia 03 de Junho