Projeto que repassa a entidade R$ 50 mil de recursos devolvidos pela Câmara será votado na próxima sessão

Fonte: Ascom / Herbert de Souza

fotos bancoimagens 1593

Os vereadores votarão, na próxima segunda-feira (17), um projeto de lei encaminhado pelo Poder Executivo, que autoriza o repasse de R$ 50 mil para o Grupo Escoteiro Calango, de Lucas do Rio Verde. O dinheiro foi viabilizado pela Câmara Municipal, que economizou recursos em 2023, e fez a devolução de R$ 1,1 milhão à Prefeitura em janeiro deste ano.

O Grupo Escoteiro Calango é uma entidade sem fins lucrativos que iniciou suas atividades em outubro de 2009 como um movimento de formação de adultos, baseado nos princípios e métodos do escotismo. Seu objetivo é capacitá-los para repassar conhecimentos e habilidades aos jovens, preparando-os para a vida adulta. Com o dinheiro viabilizado pela Câmara, a entidade adquirirá um contêiner para a instalação de sua sede administrativa.

Ao devolver o recurso à Prefeitura, o Legislativo encaminhou uma série de sugestões, definidas por todos os vereadores, para a aplicação do dinheiro. Até o momento, a economia da Câmara já se traduziu em um repasse de R$ 400 mil para a unidade de Hemodinâmica do Hospital São Lucas, área responsável pelo tratamento de disfunções neurológicas, endovasculares e cardiológicas. As obras já estão em andamento.

Também foi indicado um valor de R$ 200 mil para a revitalização do prédio da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), atendendo a uma solicitação apresentada por representantes da entidade em novembro do ano passado. Esse valor se somou aos R$ 100 mil já viabilizados pelo Legislativo em 2022 e possibilitou a entrega das obras em junho de 2024.

A Câmara também indicou R$ 50 mil para a associação Construtores do Futuro, que atende mais de 100 crianças carentes. O valor já foi repassado à entidade.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Em 2023, os gastos da Câmara representaram cerca de 2% do orçamento municipal, abaixo dos 7% autorizados por lei. Além disso, do valor recebido pelo Poder Executivo, a Câmara devolveu R$ 1,067 milhão, acrescidos de R$ 76,2 mil de rendimento do valor aplicado, totalizando R$ 1,144 milhão.