Lucas do Rio Verde registrou 1.712 notificações de dengue de janeiro a setembro de 2020

As ações de combate ao mosquito Aedes aegypti continuam intensificadas no município

0

Em meio à pandemia, as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti também preocupam as autoridades de saúde de Lucas do Rio Verde. Os números de notificações e, principalmente, de casos confirmados de dengue, zika e chikungunya aumentaram nos últimos meses.

Conforme a Vigilância Ambiental, de janeiro a setembro de 2020 foram registradas 1.712 notificações de dengue e 1.307 casos confirmados. Uma morte por dengue hemorrágica também foi registrada. Em 2019, durante todo o ano foram registradas 516 notificações de dengue e 226 casos foram confirmados.


-Continua depois da publicidade ©-

O município também registrou neste ano 28 notificações de zika, com 6 casos positivos, e 16 notificações de chikungunya, com 8 casos confirmados.

Concomitante ao combate da Covid-19, a equipe da Vigilância também intensificou ações de prevenção e combate ao Aedes. Durante este ano já foram realizadas mais de 62 mil visitas domiciliares, sendo a maior parte delas (41.393) durante os meses da pandemia do novo Coronavírus.

Entre as ações também foram feitos mutirões nas comunidades São Cristóvão, Itambiquara e Groslândia, e ainda na área urbana bloqueio químico, delimitação de foco e visitas a pontos estratégicos, além de serem eliminados 182 mil criadouros do mosquito.

“Historicamente, mais ou menos a cada quatro anos é registrado surto de dengue no país e os agentes, empenhados no trabalho de notificação e eliminação de foco, já vêm realizando ações de prevenção. Mesmo durante a pandemia do coronavírus, os profissionais não pararam, mas para que o trabalho continuasse foi necessário traçar novas estratégias. Para este ano ainda também estamos planejando um mutirão também para a área urbana, mas desde já reforçamos o alerta para que a população também se empenhe nessa luta pela saúde pública e continue eliminando os focos do mosquito”, destacou o coordenador da Vigilância Ambiental, Célio Pedroso Spínola.

Durante a pandemia, a Vigilância Ambiental também passou a dar suporte para a Vigilância Sanitária nas ações de fiscalização aos estabelecimentos comerciais quanto ao cumprimento das medidas de restrição e prevenção à Covid-19 e orientações à população em geral.

Entrevista com Célio Espínola, coordenador da Vigilância Ambiental: atual cenário da dengue em Lucas do Rio Verde.

Publicado por CenarioMT Notícias em Quarta-feira, 16 de setembro de 2020

Leia também: Resultado das loterias de hoje (21/09/2020)


Amazonia 03 de Junho