22.4 C
Lucas do Rio Verde
segunda-feira, 29 novembro, 2021
InícioCENÁRIO POLÍTICOJustiça Eleitoral deve gastar mais de R$ 27 milhões para realizar duas...

Justiça Eleitoral deve gastar mais de R$ 27 milhões para realizar duas eleições neste ano em MT

Por G1 MT

A eleição suplementar para a escolha do novo senador por Mato Grosso, marcada para 26 de abril, vai custar à Justiça Eleitoral cerca de R$ 13,7 milhões. A informação é do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT). O mesmo valor deve custear as eleições municipais, quando serão escolhidos prefeitos e vereadores no estado, marcada para outubro deste ano.

No total, a Justiça Eleitoral deve pagar mais de R$ 27 milhões para a realização das duas eleições.

Conforme informações do TRE, a eleição suplementar para a escolha do senador que vai ocupar a vaga de Selma Arruda, cassada em dezembro do ano passado, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou que seja realizada em 90 dias e, por isso, não há possibilidade de unificar os dois pleitos.

O Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal de Mato Grosso (Sintap/MT) chegou a enviar um ofício ao TRE solicitando mudança na data de eleição suplementar para o Senado.

Conforme o sindicato, a eleição suplementar, que vai ser realizada em abril deste ano, e a eleição municipal, marcada para outubro, deveriam ser realizadas no mesmo dia e, assim, gerar economia aos cofres públicos.

Cassação

Selma Arruda foi cassada em dezembro por abuso de poder econômico e caixa dois na campanha eleitoral de 2018. Mesmo cassada, Selma Arruda continuou no cargo.

Selma foi condenada pelo TRE-MT em julho de 2019, mas recorreu no cargo. Em dezembro, o TSE manteve a decisão da primeira instância que cassou o mandato dela. O Acórdão foi publicado no dia 19 de dezembro.

Nessa mesma data, o tribunal de Mato Grosso foi oficialmente comunicado da decisão com a determinação da realização de nova eleição.

Selma Arruda teve o mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT) em abril deste ano. A defesa da parlamentar, então, recorreu ao TSE.

Quando o TRE cassou o mandato de Selma Arruda, a parlamentar divulgou uma nota na qual afirmou estar tranquila porque não cometeu irregularidades.

“A tranquilidade que tenho é com a consciência dos meus atos, a retidão que tive em toda a minha vida e que não seria diferente na minha campanha e trajetória política”, declarou a senadora na ocasião.

Em manifestação enviada ao tribunal em setembro, a Procuradoria-Geral se manifestou a favor da manutenção da cassação. Para o órgão, é “inegável” que a conduta da parlamentar na eleição do ano passado “comprometeu a normalidade, a legitimidade e o equilíbrio do pleito”.

Rebeca Moraeshttps://www.cenariomt.com.br
Redatora do portal CenárioMT, escreve diariamente as principais notícias que movimentam o cotidiano das cidades de Mato Grosso.

Redes sociais

107,362FãsCurtir
17,057SeguidoresSeguir
2,091SeguidoresSeguir

Lucas do Rio Verde

Lucas do Rio Verde
Após dois anos sem se apresentar ao público, Orquestra Sinfônica Jovem interpreta clássicos do cinema
novembro 28, 2021
Lucas do Rio Verde
Curso de conserva de frutas leva às participantes mais uma alternativa de fonte de renda
novembro 28, 2021
Lucas do Rio Verde
Acadêmicos da UAB/UFMT apresentam cases relacionados às políticas públicas
novembro 28, 2021
Lucas do Rio Verde
Covid-19: Confira como será o esquema de vacinação das três doses na próxima semana
novembro 27, 2021