Governo de MT propõe adicional a servidores da linha de frente do combate à covid-19

Projeto de lei foi encaminhado para a Assembleia Legislativa e visa manter profissionais atuando para o Estado

0

O Governo de Mato Grosso enviou um projeto de lei à Assembleia Legislativa, nesta quinta-feira (09.07), que visa conceder um adicional aos servidores da Saúde que atuam na linha de frente das unidades hospitalares que atendem casos de covid-19.

A proposta visa evitar a perda destes profissionais para as clínicas e hospitais privados. A compensação, assim que aprovada, só terá validade enquanto durar o estado de calamidade pública decorrente da pandemia.

“Lamentavelmente, temos um grande problema no sistema de saúde, que é a falta de profissionais no mercado. Está faltando no Governo, nos hospitais privados, e estamos registrando uma perda de profissionais inclusive pela grande demanda e competição para contratação”, explicou o governador Mauro Mendes.

O governador afirmou que o sistema de saúde em Mato Grosso está com grande dificuldade de realizar contratações e que, por isso, é preciso “entrar nessa disputa de mercado para reter esses profissionais e mantê-los trabalhando nos hospitais públicos”.

“E para que isso aconteça, durante o período da pandemia, para os profissionais que estão exclusivamente atuando na linha de frente em hospitais e em ações de combate ao coronavírus nas unidades de Mato Grosso, o Governo propõe uma remuneração adicional. Estamos encaminhando para a Assembleia Legislativa um projeto de lei pedindo autorização para proceder dessa forma e, com isso, garantir esses profissionais trabalhando nas nossas unidades”, ressaltou.

Para citar um exemplo, hoje a remuneração de um Superintendente de Enfermagem -que coordena toda a equipe de enfermeiros que atendem casos de covid-19 em um hospital estadual – é de R$ 5 mil. O valor é inferior ao salário dos próprios enfermeiros que são coordenados por ele. Com a proposta, esse profissional receberia R$ 6.700.

“Essa mudança é válida e importante porque precisamos reconhecer o trabalho dos profissionais da Saúde não apenas no enfrentamento à pandemia, mas em todos contextos. Além de serem profissionais fundamentais para a linha de frente do combate ao coronavírus, tratam-se de pessoas que precisam ter o reconhecimento financeiro pelo que exercem e, sobretudo, pela responsabilidade que carregam. A gestão da Saúde entende que essa remuneração precisa ser mais justa”, declarou o secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo.

No mesmo projeto, também está previsto que os profissionais contratados da Saúde que contraírem a covid-19 possam receber do Estado os valores dos plantões durante o período de recuperação. Ou seja, se nos últimos 14 dias antes de contrair a covid, o profissional fez 6 plantões, o Estado paga outros 6 plantões nos 14 dias em que ele estiver afastado.

“Tenho certeza que a Assembleia está sensível à esta situação delicada e irá tramitar o projeto de forma célere, garantindo a permanência desses profissionais nas nossas unidades de Saúde”, destacou Mendes.

Atração de profissionais

No momento, há um edital aberto para a contratação de médicos, enfermeiros, psicólogos, fisioterapeutas, assistentes sociais, técnicos de enfermagem, técnicos de laboratório e maqueiros, para atender a demanda nos Hospitais Regionais de Alta Floresta, Cáceres, Colíder, Rondonópolis, Hospital Metropolitano e Hospital Estadual Santa Casa.

Além disso, outro edital foi aberto nesta semana visando a contratação de 24 médicos para atuar no Centro de Triagem e Diagnóstico da Covid-19, em Cuiabá, que começará a atender nos próximos dias. As inscrições podem ser feitas por meio do link: cadastro.mt.gov.br

Leia também: Previsões para o horóscopo do dia de hoje (14/08/2020)


Amazonia 03 de Junho