Exporta Mais Brasil chega em Alta Floresta para impulsionar o manejo florestal sustentável nacional

Fonte: Assessoria

Cipem 021

Chegou a hora de compartilhar nossas práticas de manejo florestal com o mundo. Para isso, até esta quinta-feira, 20 de junho, o Exporta Mais Brasil, programa da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) que visa conectar o comércio exterior a empreendedores de todo o país, está em Alta Floresta, região norte de Mato Grosso. O evento começou segunda-feira (17). Dessa vez, o objetivo é impulsionar as exportações do setor de processados de madeira sustentável.

Ao longo de quatro dias, 10 compradores internacionais de sete países farão visitas técnicas às indústrias locais e participarão de rodadas de negócios com 30 empresas brasileiras do setor. Rodando o país desde agosto de 2023, o Exporta Mais Brasil tem como foco desta nova etapa uma grande aliada da preservação ambiental: o manejo florestal sustentável de madeira processada.

“Quando o comprador conhece de perto o processo produtivo, o contexto em que o produto é desenvolvido e as práticas sustentáveis, a relação com a compra e com o negócio é outra”, explica a diretora de Negócios da ApexBrasil, Ana Paula Repezza. “Com as visitas, a gente consegue melhorar a percepção dos produtos e a compra internacional, baseados também nos nossos atributos de sustentabilidade”, reforça Repezza.

Os compradores convidados — oriundos da África do Sul, Alemanha, Bélgica, França, México, Polônia e Uruguai — buscam empresas brasileiras produtoras de madeira beneficiada para serem comercializadas em seus respectivos mercados. Com as visitas técnicas, eles poderão entender melhor a sustentabilidade da cadeia, o funcionamento do mercado local e todo seu potencial.

O evento tem correalização do Fórum Nacional de Atividade de Base Florestal (FNBF), do Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira do Estado de Mato Grosso (Cipem) e parceria da Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt).

“Começamos uma importante rodada de negócios. O setor de base florestal mato-grossense está mostrando ao mercado mundial que temos bons produtos e protegemos o meio ambiente com responsabilidade”, pontua Frank Rogiere Almeida, presidente do FNBF e vice-presidente da Fiemt.

O manejo florestal também contribui para a redução de queimadas e do desmatamento ilegal, certificando-se que o móvel ou objeto de madeira que chega até a casa do consumidor foi produzido conforme a lei e de forma sustentável.

Mato Grosso: referência em manejo florestal

Conforme o FNBF, só no estado do Mato Grosso, existem hoje mais de 5 milhões de hectares de florestas manejadas. Isso significa que, na região, é dada uma forte atenção à identificação de árvores aptas para corte, incluindo o monitoramento de áreas por satélite, a adoção de técnicas de rastreabilidade, bem como a limitação de abates por hectare.

Não por acaso, Cuiabá, a capital de Mato Grosso, foi incluída como uma das cidades-sede da próxima reunião do G20, em setembro de 2024. O evento será uma oportunidade para compartilhar com o mundo nossas práticas e a contribuição do estado para mitigação das mudanças climáticas.

De acordo com estudo realizado pela Secretaria de Meio Ambiente de Mato Grosso (Sema-MT) o manejo florestal sustentável na região contribui para a redução estimada de 16% das emissões de gases de efeito estufa. Até 2030, a expectativa é que sejam alcançados 6 milhões de hectares de florestas manejadas no Mato Grosso.

Manter a floresta em pé está entre as prioridades da atual gestão da ApexBrasil, que também tem trabalhado para promover e posicionar o país como referência mundial nas práticas de manejo florestal sustentável.

“Queremos aproximar o empresariado amazônico dos mercados internacionais, organizando o setor produtivo em torno de desafios comuns e trazendo os compradores do mundo todo para conhecer o potencial dos produtos da floresta, que apresentam alto valor agregado”, afirma o presidente da ApexBrasil, Jorge Viana.

Programas como o Exporta Mais Amazônia e as Mesas Executivas de Exportação de produtos de alto valor agregado e compatíveis com a floresta, como a castanha do Brasil, estão em pleno desenvolvimento pela Agência, promovendo o desenvolvimento da região Norte de forma sustentável.

É formado em Jornalismo. Possui experiência em produção textual e, atualmente, dedica-se à redação do CenárioMT produzindo conteúdo sobre política, economia e esporte regional.