24.4 C
Lucas do Rio Verde
quinta-feira, 18 agosto, 2022
Publicidade
InícioMATO GROSSOCooperativa cita possível conflito armado e cobra legalização de área invadida em...

Cooperativa cita possível conflito armado e cobra legalização de área invadida em fazenda de ex-governador de MT

Texto por G1 MT

Membros de uma cooperativa com cerca de 154 famílias que moram em uma área da fazenda do ex-governador de Mato Grosso, Silval Barbosa (MDB),entregue após acordo de delação premiada, encaminharam um documento à Justiça cobrando andamento no processo de incorporação da área.

O documento tem como destinatário a juíza da 2ª Vara Cível Especializada em Direito Agrário de Mato Grosso, Adriana Sant’anna Coningham.

Na carta, a cooperativa cita o medo de um possível conflito armado com outro grupo que invadiu a área em dezembro de 2017. À época, cerca de 300 pessoas invadiram a propriedade.

A área rural fica no município de Peixoto de Azevedo, a 692 km de Cuiabá. A fazenda é avaliada em R$ 33 milhões e tem cerca 4,1 mil hectares.

A propriedade foi alienada junto com outros bens do ex-governador após delação.

De acordo com o presidente da cooperativa, Waldir Theodoro, há mais de um ano as famílias firmaram um acordo de cooperação técnica com o governo para regularizar a ocupação e exploração rural.

No documento, o grupo cita o medo de um possível conflito armado.

“Ocorre Exª, que nesta referida área está prestes a estourar um grande conflito agrário de proporções gigantescas, onde existem muitas crianças, pessoas de idade avançadas e várias famílias”, diz trecho da carta.

Em troca da liberdade

O ex-governador deixou a prisão em regime fechado em junho do ano passado depois dequase dois anos preso. Ele teve a prisão domiciliar decretada mediante entrega de R$ 46 milhões em bens. Entre eles estão duas fazendas, avaliadas em R$ 33 milhões e R$ 10 milhões, e um avião de R$ 900 mil.

A aeronave já começou a ser usada pelo governo no transporte de presos e autoridades.

Silval foi preso durante a operação Sodoma, que investiga a existência de uma suposta organização criminosa que cobrava propina de empresários para manter contratos vigentes com o estado, durante a gestão dele.

Rebeca Moraes
Rebeca Moraeshttps://www.cenariomt.com.br
Redatora do portal CenárioMT, escreve diariamente as principais notícias que movimentam o cotidiano das cidades de Mato Grosso.

Publicidade


Publicidade

Lucas do Rio Verde

Lucas do Rio Verde
Cras promove Balcão de Empregos em parceria com o Sine em Lucas do Rio Verde
agosto 17, 2022
Lucas do Rio Verde
Lucas do Rio Verde: Proposta de inovação é apresentada a prefeito e equipe de secretários durante reunião
agosto 17, 2022
CRIME SEXUAL
Homem é preso por estuprar enteada e sobrinha em Lucas do Rio Verde
agosto 17, 2022
Lucas do Rio Verde
Programa Saúde na Escola entrega kits de higiene bucal aos alunos em Lucas do Rio Verde
agosto 17, 2022