32.2 C
Lucas do Rio Verde
segunda-feira, 08 agosto, 2022
Publicidade
InícioMATO GROSSOConcurso de 1.200 vagas para PM a cada governo 'estancaria' perdas de...

Concurso de 1.200 vagas para PM a cada governo ‘estancaria’ perdas de até 300 homens por ano

Texto por Wesley Santiago-OD

Anualmente, a Polícia Militar chega a perder até 300 homens, em sua maioria por conta da aposentadoria. Um concurso com 1.200 vagas para a corporação apenas estanca o déficit, mas não resolve o problema da falta de efetivo. O comandante do Comando Regional II, responsável por Várzea Grande e adjacências, Marcos Roberto Sovinski, comenta que é preciso encontrar um mecanismo para que esta perda seja reposta de forma satisfatória e de acordo com a realidade econômica do país.

O governo de Pedro Taques (PSDB) iniciou com aproximadamente 6.500 homens. Com o chamamento de quase dois mil militares, o número subiu para 8.200. Porém, com a aposentadoria e também por outros fatores, atualmente são em média 7.500 pessoas, com a expectativa de chegar em 2020, já no mandato de Mauro Mendes (DEM), com um número menor que o de cinco anos atrás.

“Sabemos a condição que o Estado está de finanças para fazer um concurso público. Por conta disto, é preciso encontrar um mecanismo para que possamos aumentar o nosso efetivo, já pensando também na reposição. As cidades estão crescendo rapidamente e a segurança pública também precisa acompanhar”, comentou o coronel Sovinski, quando questionado sobre o assunto.

O comandante do 25º Batalhão, responsável pela região conhecida como ‘Grande Cristo Rei’, Ten Cel PM Manoel Bugalho Neto, lembra ainda que “diferente de outras áreas, o profissional de segurança não vem pronto. Quando você contrata um professor, alguém da saúde, eles já chegam prontos para trabalhar. No caso do policial, você tem que fazer o concurso, capacitar, é muito mais elaborado”.

Além disto, os gestores ainda precisam se preocupar com a folha de pagamento dos profissionais. Isso porque ela não diminuiu e com a contratação de mais homens, acaba inchando ainda mais. Esta complicação também barra o crescimento da corporação e de novos batalhões: “Quando se fala em criar estrutura nova, você aumenta o tamanho da máquina. Os custos sobem não só com salários, mas também aparelhamento”, finalizou o coronel Sovinski.

Rebeca Moraes
Rebeca Moraeshttps://www.cenariomt.com.br
Redatora do portal CenárioMT, escreve diariamente as principais notícias que movimentam o cotidiano das cidades de Mato Grosso.

Publicidade


Publicidade

Lucas do Rio Verde

ARMAZENAGEM
Mato Grosso: Pesquisador fala sobre preocupações e prejuízos em estocar milho a céu aberto
agosto 08, 2022
Lucas do Rio Verde
Nota de pesar - Prefeitura de Lucas do Rio Verde presta condolências a familiares e amigos da médica veterinária Érica Fernanda de Jesus Fernandes
agosto 08, 2022
Lucas do Rio Verde
Quatro PSFs estarão fechados no período vespertino durante essa semana
agosto 08, 2022
Lucas do Rio Verde
Procon de Lucas do Rio Verde orienta sobre compras para o Dia dos Pais
agosto 08, 2022