37.9 C
Lucas do Rio Verde
segunda-feira, 20 setembro, 2021
InícioMATO GROSSOCinco toneladas de carvão vegetal de origem ilícita são apreendidas em Cuiabá

Cinco toneladas de carvão vegetal de origem ilícita são apreendidas em Cuiabá

Por CENÁRIOMT

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Defesa do Consumidor (Decon) e da Delegacia Especializada do Meio Ambiente (Dema), com o apoio do Instituto de Pesos e Medidas do Estado de Mato Grosso (Ipem) e Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), apreendeu na manhã desta quinta-feira (19.08), cinco toneladas de carvão vegetal de origem não comprovada, na região do Cinturão Verde do Bairro Pedra 90, na Capital.

Os policias civis, fiscais e peritos chegaram ao local após a Delegacia do Consumidor de Cuiabá receber denúncia de que uma chácara na região do Cinturão Verde estava sendo utilizada para ensacar carvão vegetal em embalagens com a marca e os dados de outra empresa.

No local, os fiscais do Ipem e os peritos da Politec encontraram sacos de carvão vegetal sem a identificação da pessoa ou empresa responsável pelo embalo, e ainda constataram que o produto estava lesando o consumidor por apresentar peso abaixo do indicado na embalagem.

A equipe da Polícia Civil identificou e entrou em contato com o responsável pelo carvão vegetal por meio de ligação telefônica, porém ele não foi ao local e nem apresentou documentos para comprovar a origem lícita do produto e a existência de licença ambiental.

Uma pessoa que estava no local foi conduzida à Dema para prestar esclarecimentos. O carvão vegetal apreendido deverá ser doado à instituições de caridade, após os indícios de origem ilícita do produto serem comprovados.

Segundo o delegado da Decon, Rogério Ferreira, que coordenou os trabalhos, receber ou adquirir, para fins comerciais ou industriais, carvão de origem vegetal, sem exigir a exibição de licença do vendedor, outorgada pela autoridade competente, e sem munir-se da via que deverá acompanhar o produto até final beneficiamento é crime ambiental com pena de prisão de até um ano e multa.

O comerciante que vende, expõe à venda, tem em depósito, transporta ou guarda carvão de origem vegetal, sem licença válida também pode cometer crime ambiental com a mesma pena.

“A Delegacia do Consumidor deve intensificar ações conjuntas com outros órgãos, como o Ipem, para coibir a venda de produtos abaixo do peso indicado sem suas embalagens durante esse momento de crise financeira e de alta nos preços que abalam as famílias brasileiras”, disse o delegado.

Rebeca Moraeshttps://www.cenariomt.com.br
Redatora do portal CenárioMT, escreve diariamente as principais notícias que movimentam o cotidiano das cidades de Mato Grosso.

Redes sociais

107,330FãsCurtir
17,057SeguidoresSeguir
2,037SeguidoresSeguir

Lucas do Rio Verde

SOB NOVA DIREÇÃO
Novo coordenador da Guarda Municipal é apresentado durante sessão da Câmara
setembro 20, 2021
SEGURANÇA
Policia procura por homem que esfaqueou amigo em Lucas do Rio Verde
setembro 20, 2021
DIA DO GAÚCHO
“É importante manter nossa tradição para as próximas gerações”, diz patrão do CTG de Lucas
setembro 20, 2021
Lucas do Rio Verde
Bairro Jaime Seiti Fujii recebe revitalização da sinalização viária
setembro 19, 2021