Ação humana é a principal causa das queimadas no Pantanal de Mato Grosso

Fonte: CENÁRIOMT

Ação humana é a principal causa das queimadas no Pantanal de Mato Grosso
Ação humana é a principal causa das queimadas no Pantanal de Mato Grosso

A maioria dos incêndios que devastam o Pantanal de Mato Grosso tem origem em propriedades privadas, com quase nenhum indício de causas naturais, como raios. Monitoramentos via satélites de diversas instituições apontam que a ação humana é o principal responsável pelas queimadas, que podem se transformar em uma das maiores crises já vistas no bioma.

De acordo com o programa BDQueimadas do Instituto Nacional de Pesquisa Espacial (Inpe), 95% dos 3.372 focos de incêndio registrados no primeiro semestre de 2024 ocorreram em áreas privadas, um número recorde para o período. Apenas 189 focos foram identificados em terras indígenas (TIs) e unidades de conservação (UCs).

Junho de 2024 já é o mês com mais focos de incêndio de toda a série histórica do Inpe, que monitora a região desde 1998. O Pantanal, o segundo bioma com maior prevalência de propriedades privadas no país, possui apenas 4,66% de sua área protegida por UCs, tornando-o mais suscetível às ações humanas, muitas vezes fora do controle dos órgãos ambientais.

Monitoramento do laboratório de satélites ambientais da UFRJ (Lasa) revela que menos de 1% dos focos de calor detectados tiveram raios como origem. A especialista em queimadas Mercedes Bustamante, da UnB, explica que, na atual situação do Pantanal, a baixa proporção de ignições naturais indica claramente a origem humana dos incêndios.

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, destacou a importância de cessar o uso do fogo para qualquer atividade, afirmando que “não tem incêndio por raio, o que está acontecendo é ação humana”. Tanto Mato Grosso quanto Mato Grosso do Sul proibiram o uso do fogo, incluindo a queima controlada, que é uma técnica usada para reduzir a quantidade de material inflamável.

Dentro de áreas protegidas, a queima controlada só pode ser realizada por órgãos ambientais ou comunidades tradicionais. No primeiro semestre de 2024, o governo federal autorizou a queima controlada de mais de 16 mil hectares dentro de áreas de preservação, mas essas ações estão atualmente proibidas devido ao agravamento da crise.

O Ministério da Justiça está investigando quantos dos incêndios no Pantanal são ilegais e criminosos. A maioria dos incêndios ocorre próximo às estradas e em municípios com altos índices de desmatamento, como Corumbá (MS).

O Lasa aponta que 85% da área do Pantanal consumida pelo fogo até o dia 23 de junho estava dentro de propriedades privadas, totalizando 532,9 mil hectares. Áreas protegidas sofreram com a destruição de 34 mil hectares, sendo metade em UCs e a outra metade em TIs.

A destruição do Pantanal neste semestre já supera os registros dos primeiros seis meses de 2020, ano em que o bioma sofreu o maior incêndio de sua história, agravado no segundo semestre.

Redatora do portal CenárioMT, escreve diariamente as principais notícias que movimentam o cotidiano das cidades de Mato Grosso. Já trabalhou em Rádio Jornal (site e redação).