Binotto não esconde decepção com desempenho da Ferrari: “O cronômetro nunca mente”

0

A chuva na F1 tem a capacidade de diminuir um pouco da diferença de performance entre os carros, exaltando o talento dos pilotos. Mas nem mesmo isso ajudou a Ferrari no treino classificatório do GP da Estíria, realizado no Circuito de Spielberg, neste sábado.

O piloto de melhor desempenho da Scuderia foi Sebastian Vettel, com um amargo décimo lugar. Charles Leclerc veio logo atrás, em 11º – mas acabou perdendo três lugares no grid por ter atrapalhado Daniil Kvyat e agora larga em 14º. Atrás até mesmo da Williams de George Russell, que tem aquele que é considerado um dos piores carros do grid.

O chefe da equipe, Mattia Binotto, não escondeu a frustração com o resultado amargo da classificação, uma semana após um GP da Áustria complicado.

– Um dia verdadeiramente decepcionante. Temos que aceitar o veredicto do cronômetro que nunca mente. Em duas classificações na mesma pista, mesmo em condições diferentes, nunca fomos competitivos, não apenas contra aqueles que nos últimos anos foram nossos oponentes diretos, mas também com outros que, até ontem, estavam constantemente atrás de nós – lamenta Binotto.

Curiosamente, Vettel havia elogiado as mudanças feitas no carro para o GP da Estíria. A escuderia acelerou parte das atualizações aerodinâmicas previstas para a Hungria, como a asa dianteira, e o alemão chegou a dizer que parecia outro carro. Porém, segundo Binotto, as atualizações não refletiram da maneira que a equipe esperava.

– Fizemos muitos esforços para antecipar uma série de atualizações no carro, mas os resultados não foram vistos na pista. Temos que entender o porquê e trabalhar para mudar coisas que não cabem a uma equipe com o nome da Ferrari. Nenhuma reação emocional, mas não podemos esconder a realidade de nós – desabafa.

Leia também: Previsões para o horóscopo do dia de hoje (08/08/2020)


Amazonia 03 de Junho