30.3 C
Lucas do Rio Verde
quinta-feira, 26 novembro, 2020
Início ECONOMIA Setor de serviços cresce 5% em junho, segundo IBGE

Setor de serviços cresce 5% em junho, segundo IBGE

Destaque para os avanços em transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio, além de serviços de informação e comunicação
Por CenarioMT

O volume de serviços no Brasil cresceu 5% em junho, em comparação a maio, na série com ajuste sazonal. A alta reverteu uma trajetória de quatro meses seguidos de taxas negativas, quando a perda acumulada foi de 19,5% devido aos impactos da pandemia da Covid-19. Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços, divulgada nesta quinta-feira (13/08) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Das atividades pesquisadas, o setor de transportes foi um dos que acompanharam o resultado positivo de junho. O setor cresceu 11,9% entre maio e junho, depois de recuar 25,2% no período de março abril. Entre os segmentos do setor que tiveram crescimento em junho estão o transporte rodoviário de carga, transporte aéreo de passageiros e operação de aeroportos. Houve ainda avanço de 6,9% nos serviços auxiliares aos transportes e correio e de 3,3% nos serviços de informação e comunicação.

Também tiveram avanços os serviços profissionais, administrativos e complementares (2,7%), dos serviços prestados às famílias (14,2%) e de outros serviços (6,4%).

A retomada do funcionamento de restaurantes colaborou para o resultado positivo do setor de serviços, de acordo com o IBGE. Entre março e maio, a atividade sofreu uma retração de 18,6%. O gerente de um restaurante do Rio de Janeiro, Raphael Rocha, contou que o estabelecimento está retomando o movimento aos poucos e, a expectativa, é voltar a ver a casa cheia.

“Ficamos por volta de três meses e meio fechados, agora, com a possibilidade de abertura, por mais que esteja devagar, podemos receber e conseguir pagar contas que ficaram atrasadas durante esses meses e ir retomando de forma gradual o trabalho. Precisamos do público e, gradualmente, as pessoas estão voltando”, disse Raphael.

De acordo com o IBGE, os efeitos negativos da pandemia sobre o setor de serviços começaram a ser sentidos apenas nos últimos 10 dias do mês março e se aprofundaram nos dois meses seguintes.

“As perdas da pandemia propriamente ditas ocorreram entre março e maio, período em que o setor de serviços acumulou uma perda de 18,6%”, comentou o gerente da Pesquisa Mensal de Serviços, do IBGE, Rodrigo Lobo.

No acumulado do ano, o volume de serviços caiu 8,3% frente a igual período de 2019.

Resultado por regiões

Das 27 unidades da federação, 21 tiveram expansão no volume de serviços em junho, quando comparado a maio. Entre os locais com resultados positivos no mês, São Paulo (5,1%) teve o crescimento mais importante, com 5,1%, após cair 19,5% entre fevereiro e maio deste ano.

Crescimento na atividade turística

Pelo segundo mês seguido, o índice de atividades turísticas teve taxa positiva. Em junho, o avanço foi de 19,8% em comparação a maio. Com os impactos das medidas preventivas para o combate à pandemia da Covid-19, o segmento de turismo tinha uma perda acumulada entre março e abril de 68,1%.



© CenárioMThttps://www.cenariomt.com.br
CenárioMT - Publicamos notícias diariamente no portal!
- Publicidade -

Últimas

Contra garimpo ilegal, Polícia Federal deflagra Operação Rêmora

A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (26) a Operação Rêmora, que visa desarticular uma associação criminosa suspeita de coordenar atividade de garimpo ilegal na...

Prevenção: servidores da PGE fazem teste da Covid-19

Os servidores da Procuradoria Geral do Estado (PGE) realizaram nesta quinta-feira (26.11) o teste RT-PCR que detecta a presença do vírus da Covid-19.  A...

Caminhão tomba, esmaga carro e moto e três pessoas ficam feridas em avenida de MT

Três pessoas ficaram feridas em um acidente na manhã desta quinta-feira (26) na Avenida Júlio Campos, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá. De acordo...

Preços da indústria tiveram em outubro maior alta desde 2014: 3,40%

O Índice de Preços ao Produtor (IPP), que mede a inflação de produtos na saída das fábricas, registrou alta de preços de 3,40% em...
Publicidade
x