18.6 C
Lucas do Rio Verde
terça-feira, 17 maio, 2022
Publicidade
InícioECONOMIADesemprego fica estável em 25 estados e no DF no 1º trimestre

Desemprego fica estável em 25 estados e no DF no 1º trimestre

R7

O desemprego no Brasil ficou estável em 25 estados e no Distrito Federal no primeiro trimestre de 2022, refletindo a estabilidade da taxa média nacional, que foi de 11,1%, segundo dados apresentados nesta sexta-feira (13) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

A única queda da desocupação no período ocorreu no Amapá (14,2%), com resultado 3,3 pontos percentuais inferior ao do quarto trimestre de 2021, segundo a Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua).


--Continua depois da publicidade--

A coordenadora de Trabalho e Rendimento do IBGE, Adriana Beringuy, avalia que a queda da desocupação no Amapá ocorre com o aumento do número de pessoas ocupadas e a menor pressão das pessoas sem trabalho que buscam ocupação no estado. “Houve uma queda de 7,3% no número de pessoas na força de trabalho e um aumento de 10,4% no contingente fora da força”, explica ela.

De acordo com o estudo, todas as grandes regiões tiveram taxas de desocupação estáveis na comparação com o último trimestre do ano passado, sendo que o Nordeste (14,9%) se manteve com o maior índice ao longo de todos os trimestres analisados. Já a região Sul teve a menor taxa: 6,5%.

Com estabilidade em quase todos os estados, as maiores taxas de desocupação foram as apuradas na Bahia (17,6%), em Pernambuco (17%) e no Rio de Janeiro (14,9%). As menores, por sua vez, são verificadas em Santa Catarina (4,5%), em Mato Grosso (5,3%) e em Mato Grosso do Sul (6,5%).

O número de pessoas ocupadas no país ficou em 95,3 milhões e é composto de 67,1% de empregados, 4,3% de empregadores, 26,5% de pessoas que trabalham por conta própria e 2% de trabalhadores familiares auxiliares.


--Continua depois da publicidade--

Trabalho por conta própria

Os maiores percentuais de trabalhadores por conta própria foram registrados no Amapá (35,9%), Amazonas (35,7%), Pará (34,6%) e Rondônia (32,4%), todos estados da região Norte do país. Também foi verificado no Pará o maior percentual de trabalhadores informais (62,9%). Norte e Nordeste concentram os maiores percentuais dessas categorias profissionais.

Por outro lado, as regiões Sudeste (69,7%) e Centro-Oeste (71%) apresentaram a maior participação da categorias dos empregados. Santa Catarina (88,2%) foi o estado com o maior percentual de trabalhadores com carteira assinada no setor privado. Já no Maranhão (47,3%), menos da metade dos trabalhadores tinha a carteira assinada.

Rebeca Moraeshttps://www.cenariomt.com.br
Redatora do portal CenárioMT, escreve diariamente as principais notícias que movimentam o cotidiano das cidades de Mato Grosso.

Publicidade


Publicidade

Lucas do Rio Verde

Lucas do Rio Verde
Poda de árvores visa melhorar a iluminação pública em Lucas do Rio Verde
maio 17, 2022
SEGURANÇA PÚBLICA
Lucas do Rio Verde: Vereador acredita ser possível instalar posto policial para atender comunidades rurais
maio 17, 2022
Lucas do Rio Verde
Prefeitura de Lucas do Rio Verde inicia reforma para reativar PSF de Itambiquara
maio 17, 2022
Lucas do Rio Verde
Lucas do Rio Verde marca presença no 22º Encontro Regional do Congemas
maio 17, 2022