20.7 C
Lucas do Rio Verde
sexta-feira, 05 março, 2021
Início ECONOMIA Como economizar no valor do seguro do seu carro?

Como economizar no valor do seguro do seu carro?

Por CENÁRIOMT COM INF. MOBIAUTO

Levante a carteira quem gosta de gastar dinheiro com a seguradora. Pensando em todos que detestam esse momento de pagar pelo o que ainda não aconteceu, separamos dez formas de economizar no seguro. Com certeza, algumas dessas orientações vão te render algum desconto na hora de assinar a apólice.

10 Dicas para economizar no seguro do carro


--Continua depois da publicidade--

Carro vs valor do seguro

O valor do seguro pode ser um critério de desempate na escolha do carro. Está em dúvida entre dois ou três modelos? Se quiser economizar, pesquise o valor de seguro dos modelos antes de decidir.

Um carro com alto índice de roubo costuma ter um valor de seguro mais caro, assim como carros que já saíram de linha e veículos cujas peças de manutenção tenham um valor mais elevado. No caso de um usado, quilometragem e estado do veículo também contam.

Faça várias cotações e evite a pressa


--Continua depois da publicidade--

Nada de fechar com a primeira empresa! Faça cotações em várias seguradoras. Separe pelo menos um mês para pesquisar preços e não demonstre ao corretor que precisa de um seguro para ontem. Assim, você terá mais margens para negociação.

Atenção ao escolher a cobertura do seguro

Evite contratar um seguro com cobertura apenas para roubo ou furto. Por melhor motorista que você seja, no trânsito todos estamos sujeitos à irresponsabilidade e distração de outros condutores. E não existe nada pior do que pagar pelo erro do outro. Por isso, ter um seguro que cubra acidentes é pensar na economia futura.

Outra dica: quanto menos experiência você tiver como motorista, mais completo deve ser o pacote de cobertura para danos. Quem mora em regiões com enchentes também deve pensar em uma cobertura para desastres naturais.

Franquia mais alta, seguro mais barato

Mas até que ponto isso é uma vantagem? Ter a franquia mais alta e um seguro mais barato pode ser vantajoso desde que você não precise acionar o seguro. Mas e se for necessário? A partir do momento em que se aciona o seguro, não é mais possível negociar o valor da franquia.

Para definir sua franquia, pondere os seguintes fatores: você usa muito o carro? Não tem muita experiência ao volante? Mora em regiões mais propensas a roubo? Deixa o carro na rua? Seu carro tem uma quilometragem mais alta? Nesses casos, talvez valha investir um pouco mais no valor do seguro em si e ter um valor de franquia menor.

Tenha um rastreador

Carros com rastreadores têm mais chances de ser recuperados. Por isso, as seguradoras oferecem descontos generosos para veículos que possuem esse equipamento, já que diminuem as chances de arcar com o valor total do automóvel no caso de um furto ou roubo.

Informações que valem ouro (ou desconto)

Preencher formulários desperta preguiça até nas pessoas mais proativas, mas quando se trata do seguro, é bom fazer isso com muita disposição, pois seus dados podem gerar uma boa economia. Outro ponto é preencher tudo corretamente. Nada de mentirinhas: elas podem custar caro.

Quilometragem: Quanto mais exato o segurado for, melhor. Se não sabe quantos quilômetros percorre de casa até ao trabalho diariamente, confira no Google Maps para responder com precisão. Quanto maior a quilometragem, mais caro o seguro, pois significa uma maior exposição a riscos.

Estacionamento: deixar o carro no estacionamento diminui o valor do seguro, pois veículos que ficam na rua estão mais expostos a roubos ou danos. Mas cuidado ao tentar bancar o esperto: caso o carro seja roubado porque passa as noites na rua, a seguradora pode ter o direito de não oferecer a cobertura.

Localidade: quem mora no interior paga mais barato no seguro, mas não é por isso que o segurado deve colocar o endereço da casa no interior, quando na realidade mora na capital. Em caso de acidente ou roubo, a seguradora pode descobrir e o segurado não ter direito a indenização.

Motoristas: quanto mais motoristas acrescentar no contrato, mais caro ele ficará. Mas não adicionar alguém que com certeza vai dirigir o carro pode impedir o segurado de contar com cobertura em caso de sinistros.

Esses são apenas alguns exemplos de como é importante ser honesto e preencher o formulário precisa e corretamente. Se o condutor morar a poucos quilômetros do trabalho e deixar o carro sempre no estacionamento, isso ajudará muito no valor.

Agora, se a realidade não for essa, é importante informar também para evitar ficar sem cobertura. O barato às vezes pode sair caro.

Atualize o formulário

A coisa mais importante depois de preencher o formulário é atualizá-lo. Mudar para um trabalho mais próximo, ou agora ganhar uma vaga no estacionamento da empresa são atualizações que devem ser feitas para pagar menos quando for atualizar o seguro. O mesmo vale se você se casou, pois casados costumam pagar valores menores.

Se o contrário acontecer, e agora o trabalho ficar ainda mais longe de casa, informe a seguradora também, para não correr nenhum risco de ficar sem cobertura. Resumindo, o formulário do seguro é o novo diário da vida do segurado e deve ser atualizado sempre que algo relevante acontecer.

Bom histórico gera desconto

Quanto menor o número de envolvimentos em sinistros e multas o motorista tiver, mais desconto conseguirá nas renovações ou futuras contratações de seguro. Isso porque as seguradoras o enxergarão como um cliente com baixo risco de acioná-la em caso de problema.

Jovens, homens e solteiros pagam mais caro

Condutores de 18 a 25 anos, do sexo masculino e solteiros são as três classes que mais representam riscos de se envolver em acidentes. Por isso, acabam pagando mais no seguro. Enquanto isso, os casados conseguem um valor mais atraente por se enquadrarem em um perfil que as estatísticas apontam como mais responsável.

Mas tudo é muito variável quando se trata do valor do seguro, pois vários fatores contam. Por exemplo: um homem de 23 anos habilitado desde os 18 e com um bom histórico provavelmente pagará um pouco menos que um homem de 23 anos habilitado desde os 21 anos e que já se envolveu em sinistros.
Uma mulher casada, habilitada há alguns anos e com um bom histórico provavelmente pagará menos ainda. Já uma pessoa divorciada entra na mesma categoria dos solteiros e voltará a pagar mais caro no seguro.

Negocie

A responsabilidade de negociar não deve ser apenas do corretor que quer vender, mas também sua que precisa do seguro. Mostre que tem interesse em fechar, mas que tem limites.

Antes de abrir mão de algumas coberturas, tente um bom desconto para um seguro mais completo. O vendedor quase sempre está mais disposto a dar desconto do que a perder a venda. Então, tire vantagem disso.

Pagamentos à vista costumam ser mais vantajosos, mas mesmo que a ideia seja parcelar, questione o valor à vista e tente reduzir o valor das parcelas. Eu mesma já fiz bons negócios usando essa estratégia. E, se puder, pague à vista e peça ainda mais desconto do que o oferecido, afinal, quem não chora não mama.



Dayelle Ribeirohttps://www.cenariomt.com.br
Redatora do portal CenárioMT
- Publicidade -

Últimas no CenárioMT

Lucas do Rio Verde

Lucas do Rio Verde
Empresa abre 150 vagas para operador de produção em Lucas do Rio Verde
março 04, 2021
PRINCÍPIO DE INCÊNDIO
Lucas: Curto circuito queima ar condicionado e provoca princípio de incêndio em comércio
março 04, 2021