26.4 C
Lucas do Rio Verde
sábado, 31 outubro, 2020
Início CENÁRIO POLÍTICO Para Fux, mudanças no Fundo Eleitoral não podem ir contra a sociedade

Para Fux, mudanças no Fundo Eleitoral não podem ir contra a sociedade

Por CenárioMT, com inf. Agência Brasil

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e ex-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Luiz Fux, disse hoje (16), que o projeto de lei (PL 5.029/2019), que muda as regras do Fundo Eleitoral, pautado para ser votado amanhã (17) no plenário do Senado, não pode ir contra o posicionamento da sociedade brasileira, que exige a transparência nesses processos. “A era hoje é a era da transparência”, disse Fux, após participar do 1º Congresso Internacional de Direito Processual Civil da Escola Superior de Advocacia Pública (ESAP), da Procuradoria-Geral do Estado do Rio de Janeiro (PGE-RJ).

A proposta aumenta o valor a ser repassado para os partidos políticos, autoriza a contratação de advogados e contadores, reduz o valor a ser bloqueado pela Justiça Eleitoral para o acerto de multas e libera o uso desse dinheiro para o pagamento de sanções, juros, compra ou aluguel de imóveis e de impulsionamento de conteúdo na internet.

“Com o dinheiro público, o segredo não pode ser a alma do negócio”, disse, acrescentando que a transparência é uma exigência da sociedade em relação a todos aqueles que lidam com o dinheiro público. “Entendo que se essa lei representar um grave retrocesso, ela vai passar por um crivo bem rigoroso de constitucionalidade”.

O ministro disse não ter a menor dúvida que a lei vai ser questionada no Supremo se for sancionada. “Será judicializada, inclusive pelas críticas que já vêm surgindo em relação a ela, no sentido de que é um grande retrocesso em relação a tudo que já se conquistou em termos de moralidade das eleições”.

Indagado se via retrocesso na questão da lei eleitoral, Luiz Fux explicou que e a lei ainda não chegou ao mundo jurídico. “Ela está sendo votada, mas entendo que eles (parlamentares) devem ter uma preocupação com esse princípio constitucional maior, que é o princípio da moralidade do pleito eleitoral”.

Royalties

O ministro Luiz Fux disse que embora a Corte saiba que os estados brasileiros estão em uma situação difícil, no sentido do federalismo fiscal, a solução do Supremo em relação à revisão do percentual de distribuição dos royalties do petróleo será técnica, à luz da Constituição Federal.

A revisão está prevista para o dia 20 de novembro. Disse que embora haja uma questão interdisciplinar, que é o sequencialismo da decisão em relação aos estados que estão em situação deficitária, isso não deve impedir de ser obedecida a Constituição.



© CenárioMThttps://www.cenariomt.com.br
CenárioMT - Publicamos notícias diariamente no portal!
- Publicidade -

Últimas

Encontro Estética das Periferias começa hoje em São Paulo

Um dos maiores eventos de artes da periferia das cidades brasileiras, o Estéticas das Periferias começa neste sábado (31), totalmente online. Nesta edição, que...

Polícia prende 5 motoristas por embriaguez ao volante no nortão

A Polícia Militar prendeu cinco pessoas por embriaguez ao volante, durante a Operação In Memorian, na madrugada deste sábado (31.10), em Sinop. O bloqueio policial...

Sobe para 26 total de mortos por terremoto na Turquia e Grécia

O terremoto que atingiu a região do Mar Egeu, entre a Turquia e a Grécia, deixou pelo menos 26 mortos nos dois países e...

Garotas de programa são estupradas após cair em golpe em Mato Grosso

Três garotas de programa registraram queixa depois de serem estupradas por três homens nessa sexta-feira (30), em Cuiabá. Segundo a Polícia Militar, elas foram...
x