22 C
Lucas do Rio Verde
quarta-feira, 03 março, 2021
Início CENÁRIO POLÍTICO Joice Hasselmann diz que Planalto pressionou deputados para tentar dar 'golpe' no...

Joice Hasselmann diz que Planalto pressionou deputados para tentar dar ‘golpe’ no PSL

Por G1

A deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) afirmou neste domingo (20) que o Palácio do Planalto pressionou deputados para tentar dar um “golpe” no PSL, partido ao qual o presidente Jair Bolsonaro é filiado.

Joice Hasselmann deu a declaração ao fazer uma transmissão ao vivo em uma rede social. Procurada, a assessoria da Presidência da República informou que não comentará o caso.


--Continua depois da publicidade--

Na semana passada, Bolsonaro retirou Joice Hasselmann da função de líder do governo no Congresso Nacional.

A deputada deixou o posto após ter assinado uma lista de apoio ao deputado Delegado Waldir (PSL-GO) para a liderança do PSL. Um áudio revelou a articulação de Bolsonaro para tentar colocar o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) no posto.

“Algumas pessoas, eu sinto muito, foram pressionadas e não conseguiram aguentar a pressão. Porque quando alguém do palácio liga ou o próprio presidente liga […], é obvio que muita gente foi pressionada para tentar dar um golpe no partido, o partido que é o maior da Câmara, e que o presidente precisa desse partido”, afirmou Joice Hasselmann.

“O presidente foi induzido ao erro por um grupo de pessoas que realmente está muito preocupado com o fundo partidário, muito preocupado com essas coisinhas que não são tão nobres. E acabou que o presidente caiu nessa baita enrascada, acabou usando o próprio Palácio do Planalto, a estrutura do palácio, para ligar para um ou outro parlamentar, chamar lá e tentar fazer o Eduardo Bolsonaro líder. Seria o presente de Dia das Crianças do Eduardo Bolsonaro”, acrescentou.

Para a agora ex-líder do governo, o que aconteceu foi “absolutamente irregular, absolutamente imoral”. Joice Hasselmann disse ainda que, se não puder divergir de Bolsonaro, estará em uma “ditadura”.


--Continua depois da publicidade--

“Se eu como deputada não tenho o direito de divergir, seja de quem for, inclusive do presidente, não vivo na democracia, aí é ditadura, não é democracia. Na democracia, podemos divergir. […] As pessoas não podem ser perseguidas, achacadas ou ameaçadas porque divergem. Não é assim, não é assim”, completou.

O que diz Eduardo Bolsonaro

Eduardo Bolsonaro fez uma transmissão ao vivo na internet neste sábado na qual disse que Bolsonaro não pode estar sujeito à “bipolaridade” do líder do PSL, Delegado Waldir.

“Comigo na liderança, todos concordaram que a liderança estaria em boas mãos. O próprio presidente Jair Bolsonaro não queria que eu fosse líder, eu também não queria, mas diante desses fatos não vou me acovardar. E, vendo o líder do PSL, que é o partido do presidente, orientando contra a Presidência da República, não sou eu que vou ficar de braços cruzados. Então, começamos a correr atrás de uma lista”, afirmou.

“Não me venham com esse papinho, com essa gargantinha ‘ai, o presidente interferiu’. Interferindo, nada. Ele está fazendo um projeto para o Brasil e o partido dele dentro da Câmara está indo contra o presidente, porra. Tu acha o quê? Que ele tem que fazer o quê? Que ele tem que ficar ‘não vou interferir’?”, acrescentou.

“A gente não pode ficar a esse sabor, a essa quase bipolaridade de uma pessoa para colocar adiante as pautas do país. É só isso”, concluiu.

Na última quinta (17), circulou um áudio do Delegado Waldir no qual ele dizia que iria “implodir” Bolsonaro. No mesmo dia, em entrevista coletiva, o deputado recuou, afirmando que não tinha nada para usar contra o presidente e que a declaração havia sido dada em um “momento de emoção”.

Na sexta (18), contudo, voltou a criticar Bolsonaro, afirmando que o presidente havia tentado “comprar” deputados com cargos.

Troca de ofensas

Eduardo Bolsonaro e Joice Hasselmann trocaram ofensas pelas redes sociais neste sábado.

Ele publicou a mensagem “#DeixeDeSeguirAPepa”, e ela respondeu: “Picareta! Menininho nem-nem: nem embaixador, nem líder, nem respeitado. Um zero à esquerda. A canalhice de vocês está sendo vista em todo Brasil”.

Além da tentativa de assumir a liderança do PSL, Eduardo Bolsonaro já foi anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro como futuro indicado para a Embaixada do Brasil em Washington (EUA).



Dayelle Ribeirohttps://www.cenariomt.com.br
Redatora do portal CenárioMT
- Publicidade -

Últimas no CenárioMT

Lucas do Rio Verde

EFEITO CORONAVÍRUS
Por causa da covid-19, Sebrae LRV suspende atendimentos presenciais
março 03, 2021
ENFRENTAMENTO
Câmara autoriza repasse financeiro para o Hospital São Lucas
março 03, 2021