24.3 C
Lucas do Rio Verde
sábado, 31 outubro, 2020
Início CENÁRIO POLÍTICO DIRETO DE BRASÍLIA STF retoma hoje julgamento sobre soltura de traficante André do Rap

STF retoma hoje julgamento sobre soltura de traficante André do Rap

Nessa quarta-feira, a maioria dos ministros votou a favor de manter o mandado de prisão do traficante André do Rap. Quatro ministros votam nesta quinta.
Por André Richter – Repórter da Agência Brasil - Brasília

O Supremo Tribunal Federal (STF) retoma hoje (15) o julgamento sobre as decisões envolvendo a prisão do traficante André Oliveira Macedo, o André do Rap, acusado de tráfico internacional de drogas e de ser um dos líderes de uma facção criminosa que atua dentro e fora dos presídios brasileiros. 

Ontem (14), no primeiro dia do julgamento, a maioria dos ministros votou a favor da decisão do presidente, Luiz Fux, que manteve o mandado de prisão. Votaram nesse sentido os ministros Alexandre de Moraes, Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Dias Toffoli, além do próprio presidente. Na sessão desta quinta-feira, devem votar a ministra Cármen Lúcia e os ministros Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes e Marco Aurélio.

Até o momento, além de manter a ordem de prisão, a maioria está entendendo que o descumprimento do Artigo 316 do Código de Processo Penal (CPP), que determina a reanálise da prisão a cada 90 dias, não gera a soltura automática de presos.

Entenda

No sábado (10), Fux derrubou uma decisão individual do ministro Marco Aurélio, relator do caso, que concedeu liberdade ao traficante. A decisão foi motivada por um recurso da Procuradoria-Geral da República (PGR). No momento em que a prisão foi restabelecida, André Macedo, que estava preso desde setembro do ano passado, já tinha deixado a penitenciária de Presidente Venceslau (SP).

A Polícia Civil de São Paulo realizou no último fim de semana uma operação para tentar recapturar o traficante, mas sem sucesso. De acordo com os investigadores, André do Rap pode ter fugido para o Paraguai. O nome dele foi incluído na lista de procurados da Interpol.

Ao justificar a libertação, o ministro Marco Aurélio argumentou na decisão que o Artigo 316 do Código de Processo Penal (CPP) determina que a prisão preventiva seja reanalisada a cada 90 dias. No caso específico, o ministro entendeu que a manutenção da prisão era ilegal por ter ultrapassado o tempo determinado na lei.

Ao derrubar a decisão do ministro, Fux alegou que a manutenção da prisão é necessária por se tratar de criminoso de alta periculosidade, que ficou foragido por cinco anos desde a decretação de sua prisão e para evitar “grave lesão à ordem e à segurança pública”.



© CenárioMThttps://www.cenariomt.com.br
CenárioMT - Publicamos notícias diariamente no portal!
- Publicidade -

Últimas

Encontro Estética das Periferias começa hoje em São Paulo

Um dos maiores eventos de artes da periferia das cidades brasileiras, o Estéticas das Periferias começa neste sábado (31), totalmente online. Nesta edição, que...

Polícia prende 5 motoristas por embriaguez ao volante no nortão

A Polícia Militar prendeu cinco pessoas por embriaguez ao volante, durante a Operação In Memorian, na madrugada deste sábado (31.10), em Sinop. O bloqueio policial...

Sobe para 26 total de mortos por terremoto na Turquia e Grécia

O terremoto que atingiu a região do Mar Egeu, entre a Turquia e a Grécia, deixou pelo menos 26 mortos nos dois países e...

Garotas de programa são estupradas após cair em golpe em Mato Grosso

Três garotas de programa registraram queixa depois de serem estupradas por três homens nessa sexta-feira (30), em Cuiabá. Segundo a Polícia Militar, elas foram...
x