21.3 C
Lucas do Rio Verde
quinta-feira, 25 fevereiro, 2021
Início CENÁRIO POLÍTICO DIRETO DE BRASÍLIA Senadores comemoram vacina e cobram início de campanha

Senadores comemoram vacina e cobram início de campanha

Vacina da Oxford, desenvolvida pela universidade inglesa e o laboratório anglo-sueco AstraZeneca, que será produzida no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)
Por CenárioMT com inf. Agência Senado

Com a autorização para uso emergencial de duas vacinas contra a covid-19 no Brasil, senadores foram às redes sociais cobrar o início de uma campanha nacional de vacinação. Para eles, o momento traz esperança e exige ação rápida e decisiva. O Ministério da Saúde anunciou o início da vacinação para esta quarta-feira (20).

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, comentou logo depois do anúncio que todas as vacinas são bem-vindas e elogiou a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), responsável pela decisão.


--Continua depois da publicidade--

“Seja de onde for, venha de onde vier, a vacina é essencial para que possamos retomar as rédeas de nossas vidas. Vem, vacina! Guiada pela ciência, a Anvisa acaba de autorizar o uso emergencial da CoronaVac e da Oxford”, afirmou Davi, fazendo referência às duas vacinas aprovadas no domingo (17).

A CoronaVac foi desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac e está sendo produzida no Brasil pelo Instituto Butantan. Já a Oxford é um trabalho de pesquisadores da universidade inglesa e do laboratório anglo-sueco AstraZeneca e será produzida no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Líder do MDB, o senador Eduardo Braga (AM) cobrou o início imediato da vacinação com acesso universal e gratuito. Em dezembro, o Senado aprovou um projeto de lei que prioriza o Sistema Único de Saúde (SUS) na distribuição das vacinas até que a meta nacional de imunização seja alcançada.

“Anvisa aprovou o uso emergencial das vacinas CoronaVac e Oxford. Esperança na luta para que possamos salvar vidas e superar essa terrível pandemia. Vacina já, universal e gratuita”, escreveu.


--Continua depois da publicidade--

Segundo o Ministério da Saúde, a distribuição de vacinas para os estados já começa nesta segunda-feira (18). O início da vacinação está previsto para o dia 20. com três fases para grupos prioritários já definidas. A primeira contempla profissionais da saúde, idosos acima de 75 anos, pessoas em instituições de cuidados e populações indígenas e ribeirinhas. Depois serão atendidos os idosos entre 60 e 74 anos e, na terceira fase, pessoas com comorbidades como doenças respiratórias e cardiovasculares. Pela estimativa, mais de 49 milhões de pessoas serão imunizadas nessas primeiras etapas.

Profissionais da educação, da segurança pública e do sistema prisional também constam como grupos prioritários, mas ainda não está prevista uma fase para eles.

Presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a senadora Simone Tebet (MDB-MS) afirmou que “a ciência venceu” e que o próximo passo é fazer a vacina chegar a todos os brasileiros.

“A vacina é o caminho mais seguro para impedir a repetição das cenas de horror que assistimos na última semana em Manaus. Esperamos agora um plano nacional de vacinação para todo o país”, publicou.

O líder do DEM, senador Rodrigo Pacheco (MG), também registrou a aprovação unânime da CoronaVac e da Oxford e disse que o dia entra para a história do país.

“Ambas se tornam as primeiras vacinas contra Covid a poderem ser aplicadas no Brasil. Uma esperança para os brasileiros”, comemorou.

Ciência

Em suas manifestações, senadores da oposição também criticaram o governo federal por uma postura de “negacionismo” frente à pandemia e à necessidade da vacinação. Eles celebraram a chegada da vacina como um triunfo da ciência e das instituições de pesquisa brasileiras.

Para o líder do PT, senador Rogério Carvalho (SE), a notícia das vacinas é uma esperança e um alento quando o país vive “num momento tão conturbado”.

“Temos que conviver com um presidente que nega a ciência e a consequência são milhares de vidas perdidas. O próximo passo agora é encontrar um caminho para garantir a vacinação para todos os brasileiros. E impedir que a desinformação continue”, observou.

O líder da Rede, senador Randolfe Rodrigues (AP), ressaltou a união nacional entre autoridades e profissionais que viabilizou a chegada e aprovação das vacinas no Brasil.

“Viva a ciência! Viva os profissionais de saúde! Viva o Butantan! A aliança que construímos pela vacina é humanitária, em defesa da ciência, contra o negacionismo e a favor da vida dos brasileiros. É a aliança civilizatória em tempos de barbárie”, destacou.

Já a líder do Cidadania, senadora Eliziane Gama (MA), alertou para o risco de uso político da vacina, destacando que a sua aplicação deve ser guiada pelos critérios técnicos.

“Esperamos que a aplicação do medicamento seja rápida, salvando vidas e desafogando as unidades da saúde. E que a demagogia e o marketing oportunista não atrapalhem a ciência. Vamos trabalhar intensamente para que todas as famílias sejam imunizadas”, declarou.

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro, afirmou que o governo federal financiou a produção da CoronaVac pelo Butantan, com recursos do Sistema Único de Saúde (SUS) recebidos pelo instituto — que é um órgão público. Ele também destacou que a vacinação não será obrigatória.

“Governo Bolsonaro bancou vacina do Butantan! Agora que a Anvisa aprovou o uso emergencial de duas vacinas contra a covid-19, elas serão gratuitas e não obrigatórias a todos os brasileiros! Com responsabilidade, vamos continuar recuperando o Brasil, salvando vidas e empregos!”, disse.

Precauções

Apesar da alegria demonstrada pela autorização para que a vacinação tenha início no país, alguns senadores destacaram a necessidade de manutenção das medidas sanitárias preventivas contra a covid-19, como o distanciamento social e o uso de máscaras. Eles alertaram que, enquanto a vacinação não atingir um número suficiente de pessoas, é preciso continuar seguindo as orientações para impedir a disseminação do vírus.

O senador Wellington Fagundes (PL-MT), membro da comissão mista do Congresso Nacional que acompanha a situação da pandemia, afirmou que o colegiado continuará atento às suas responsabilidades e pediu que os cidadãos mantenham os cuidados habituais.

“Seguiremos trabalhando para que essa imunização ocorra de forma ordenada e que nossa população possa voltar aos seus dias de normalidade o mais rapidamente possível. Até lá, quero reforçar o pedido para que se protejam e sigam as recomendações das autoridades de saúde: usem máscara, distanciamento social, higienização das mãos. Vamos vencer essa guerra!”

A senadora Zenaide Maia (PROS-RN) salientou que, fora a vacina, não existe tratamento cientificamente comprovado para a covid-19. Enquanto a vacinação não começa, a melhor medida, segundo ela, são as precauções.

“É preciso continuar respeitando o distanciamento social, lavando as mãos com frequência, usando máscaras e álcool em gel. A confiança na ciência e nas vacinas também foi encorajada, mensagem necessária para unir a população em torno do bem comum. A vida vai vencer!”

O senador José Serra (PSDB-SP), que foi ministro da Saúde, criticou a atual gestão da pasta, que, segundo ele, não conhece o Sistema Único de Saúde (SUS) e se comunica mal com a população. Ele deixou claro que o país ainda vive uma situação grave, mesmo com a chegada das primeiras doses das vacinas.

“Embora devamos comemorar a autorização de uso emergencial das vacinas, preocupa o efeito de uma campanha de vacinação que se inicia sem vacinas suficientes. O risco de imediata interrupção da vacinação por falta de insumos é enorme. E o risco de a população relaxar ainda mais na adoção das medidas de isolamento social também é imenso”, ponderou.

Outras publicações

Alvaro Dias, líder do Podemos (PR)

“A vacina em tempo recorde é uma conquista histórica da ciência e grande esperança da humanidade. Que venha logo e em quantidade suficiente para imunizar todo o povo brasileiro”.

Roberto Rocha, líder do PSDB (MA)

“A notícia que todos os brasileiros esperavam. A Anvisa autorizou o uso emergencial da CononaVac. Agora, vamos virar esse jogo contra esse inimigo invisível e letal, que tirou tantas vidas pelo Brasil”.

Weverton, líder do PDT (MA)

“Vitória da vida e da esperança. Vamos vencer a pandemia com vacinação! A Anvisa deu um grande passo contra o negacionismo e a favor da ciência. Precisamos, agora, acelerar o plano de vacinação para a população brasileira”.

Jorginho Mello, líder do PL (SC)

“Vacinas autorizadas para uso emergencial pela Anvisa. Mais um passo para que a vida da gente, enfim, possa ir voltando à normalidade e para que a nossa economia retome com toda a sua força”.

Eduardo Gomes, líder do governo no Congresso (MDB-TO)

“Hoje a Anvisa deu um passo decisivo para o povo brasileiro. Que venham as próximas vacinas contra a hipocrisia e a disputa sem sentido por holofotes. Viva o Brasil, viva o Tocantins! As vacinas, da primeira até tantas quantas sejam necessárias, marcam a retomada da vida. De todos e para todos! Sem distinção….”.

Alessandro Vieira (Cidadania-SE)

“Vitória da ciência que salva vidas! Parabéns ao Instituto Butantan, que honra a ciência brasileira e garante o início do processo de vacinação. Parabéns para a Anvisa, pelo trabalho de análise cuidadosa e célere. Chega de mentiras e ignorância homicida”.

Angelo Coronel (PSD-BA)

“Dia de vitória dos brasileiros que defendem a vida e respeitam a ciência. A aprovação pela Anvisa da CoronaVac e da vacina de Oxford, mesmo que a passos lentos, é outra etapa vencida na guerra da covid. Parabéns, cientistas e pesquisadores! Esperança de dias melhores no horizonte”.

Daniella Ribeiro (PP-PB)

“Uma grande vitória para o nosso país a aprovação do uso emergencial das vacinas CoronaVac e Oxford. Novos horizontes, o triunfo da esperança. Minha reverência aos cientistas e pesquisadores. Mais uma vez, ciência, pesquisa e inovação a serviço da vida de forma determinante”.

Esperidião Amin (PP-SC)

“Na ansiedade que todos nós brasileiros e a humanidade em geral estamos vivendo em função da necessidade da vacina, hoje foi um dia importante. E as consequências do que vêm depois deste dia, passam a ser com mais esperança, contadas por todos nós, ou seja, este dia marca uma fase de esperança concreta, porque a vacina vai chegar”.

Fabiano Contarato (Rede-ES)

“Um domingo de esperança! Mônica Calazans foi a primeira brasileira a ser vacinada contra a covid-19. Uma mulher, negra, enfermeira, na linha de frente lutando a favor da vida na pandemia. Esse é um momento histórico! Vitória da ciência e da vida!”.

Flávio Arns (Podemos-PR)

“Por unanimidade, a Anvisa aprovou nesse domingo o uso emergencial das vacinas CoronaVac e da Universidade de Oxford contra a covid-19. A imunização, neste momento, representa a esperança em salvar vidas”.

Izalci Lucas (PSDB-DF)

“Sem a ciência, a inovação, a tecnologia e a capacidade de nossos pesquisadores e médicos isso não seria possível. Nosso total reconhecimento a todos que estão trabalhando para tornar esse sonho realidade. Viva a ciência! Viva a pesquisa!”.

Jader Barbalho (MDB-PA)

“Dia de esperança com a aprovação unânime pela Anvisa do uso emergencial das vacinas Coronavac (Instituto Butantan) e de Oxford (Fiocruz)”.

Jean Paul Prates (PT-RN)

“Vitória da ciência brasileira! Apesar de Bolsonaro, finalmente temos aprovação de uma vacina eficaz para os brasileiros! Nossa luta agora é para garantir que todos e todas tenham acesso!”.

Jorge Kajuru (Cidadania-GO)

“Um dia em que só não se emociona quem não é ser humano!”.

Kátia Abreu (PP-TO)

“Dia histórico para o Brasil! Agora aguardamos que o governo cumpra a promessa do Ministro da Saúde e comece a campanha de vacinação o mais rápido possível! Vamos gritar pelo nosso direito de vacinar. Toda vacina atestada pela ciência merece nossa confiança. Um país que não crê na ciência não tem futuro. Disputa política não nos interessa. O ser humano importa”.

Lasier Martins (Podemos-RS)

“A autorização hoje [domingo] pela Anvisa do uso emergencial de duas vacinas contra a covid-19 é uma notícia que traz muita esperança. Estamos iniciando o caminho rumo à imunização dos brasileiros. Vamos seguir em frente na luta para salvar vidas e retomar a economia”.

Lucas Barreto (PSD-AP) 

“A aprovação pela Anvisa para uso emergencial das vacinas CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan, e AstraZeneca/Oxford, nos enche de esperanças de que, em breve, voltaremos à normalidade. Por enquanto, sigamos com as medidas de prevenção para evitar o contágio”.

Mailza Gomes (PP-AC)

“Dia histórico para o nosso Brasil! A Anvisa acaba de aprovar, de forma unânime, o uso emergencial das vacinas da CoronaVac e Oxford. E a primeira pessoa já foi vacinada em SP: a enfermeira Mônica Calazans. A Vacina é a esperança e a garantia de salvar vidas!”.

Mara Gabrilli (PSDB-AP)

“Domingo de esperança, com a aprovação unânime pela Anvisa das vacinas CoronaVac e de Oxford. Chegou a hora de salvarmos vidas. Feliz por darmos este passo”.

Marcos Rogério (DEM-RO)

“Boa notícia! A Anvisa autorizou o uso emergencial das vacinas CoronoVac e Oxford, essenciais para o combate à covid-19, sobretudo para protegermos a parcela da população mais vulnerável. Aos poucos, vamos conseguir restabelecer a saúde e fazer nossa economia voltar a crescer!”.

Maria do Carmo Alves (DEM-SE)

“É preciso parar de politizar a doença! Com a chegada da vacina não existem vencidos, somente vencedores!”.

Paulo Rocha (PT-PA)

“Vanusa Kaimbé, de 50 anos, técnica de enfermagem e assistente social, foi a primeira indígena a ser vacinada contra a Covid-19. Ela é presidente do conselho dos indígenas kaimbé do estado de São Paulo”.

Rose de Freitas (MDB-ES)

“A Anvisa adiou a aprovação da vacina mais do que a urgência da pandemia exigia. O órgão criou obstáculos, não demonstrou nenhuma iminência técnica e seus prazos foram os maiores utilizados no mundo em comparação a outros órgãos equivalentes e com a mesma responsabilidade. Muitas vidas poderiam ter sido salvas sem a politicagem praticada pela Anvisa. Mas, finalmente, a vacina foi liberada — aliás, com um espetáculo midiático desnecessário. A vacina já estava aqui pronta para ser utilizada. Agora é ter a estrutura para vacinar e realmente trazer a público os dados verdadeiros: quantas vacinas adquirimos, quantas seringas e agulhas temos… O povo, os médicos e todos precisam saber”.

Styvenson Valentim (Podemos-RN)

“A brasileira Mônica Calazans, enfermeira de 54 anos, é o rosto da esperança de milhares de brasileiros que sonharam com o dia no qual a vacina fosse realidade”.

Tasso Jereissati (PSDB-CE)

“Ótima notícia: a Anvisa aprovou, agora à tarde [de domingo], os pedidos de uso emergencial das vacinas CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan, e AstraZeneca, desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a Fiocruz. As vacinas já podem ser distribuídas para imunizar a população”.

Vanderlan Cardoso (PSD-GO)

“Esse foi um domingo muito importante. A Anvisa aprovou o uso emergencial de duas vacinas, a Coronavac, do laboratório Sinovac, e a da Universidade de Oxford. Esse é um grande passo para nos livrarmos de vez dessa doença”.

Zequinha Marinho (PSC-PA)

“Parabéns aos pesquisadores e colaboradores do Butantan e da Fiocruz que tornaram o sonho dos brasileiros uma realidade. Realidade essa que vem por meio da emoção da enfermeira Mônica Calazans, a primeira brasileira a se imunizar em nosso país. Que a vacina chegue logo pra todos!”.



- Publicidade -

Últimas no CenárioMT

Lucas do Rio Verde

CÃES NA PISTA
Animais soltos geram preocupação e prejuízos a moradores do Tessele Junior
fevereiro 24, 2021
CAUSA ANIMAL
Com indicações, vereadores pretendem tornar Lucas referência em atendimento a causa animal
fevereiro 24, 2021