23.3 C
Lucas do Rio Verde
quarta-feira, 19 janeiro, 2022
Publicidade
InícioCENÁRIO POLÍTICODIRETO DE BRASÍLIASenado aprova Pompeu Andreucci Neto para embaixador no Equador

Senado aprova Pompeu Andreucci Neto para embaixador no Equador

Por

O Plenário aprovou, nesta terça-feira (30), a indicação do diplomata Pompeu Andreucci Neto para o cargo de embaixador do Brasil no Equador. Foram 43 votos sim, 6 votos não e 4 abstenções. Andreucci Neto substituirá o atual ocupante do cargo, João Almino de Souza Filho. A indicação (MSF 46/2021) foi relatada pelo senador Esperidião Amin (PP-SC) na Comissão de Relações Exteriores (CRE).

Andreucci Neto atualmente é titular da Embaixada em Madri, cumulativa com o Principado de Andorra.


--Continua depois da publicidade--

O indicado é bacharel em direito pela Universidade de São Paulo (USP). Continuou seus estudos no Centre d’Économie da Université de Paris Panthéon-Sorbonne, na França. É também Bacharel em diplomacia pelo Instituto Rio Branco e mestre em políticas públicas internacionais pela Paul H. Nitze School of Advanced International Studies da Johns Hopkins University, em Washington, EUA.

Andreucci Neto tem vários artigos e trabalhos acadêmicos publicados sobre temas relacionados ao direito internacional e a políticas públicas e diversas condecorações. Ingressou no Serviço Exterior Brasileiro em 1990.

Sabatina CRE

Durante sua sabatina, o diplomata Pompeu Andreucci Neto afirmou que a prioridade de sua gestão à frente da embaixada brasileira no Equador será ajudar a recompor o comércio bilateral nos níveis registrados antes da pandemia de covid-19.

Pompeu informou que o volume anual dos negócios entre Brasil e Equador caiu de US$ 1 bilhão para menos de US$ 700 milhões devido à pandemia. Entre os produtos vendidos pelo Brasil ao Equador destacam-se: lâminas de ferro ou aço, fios de cobre, plásticos, ônibus e calçados. Já as importações brasileiras em relação a esse país envolvem chumbo refinado, conservas de peixes, chocolates e preparações alimentícias contendo cacau, caramelos, filés de peixe e madeira.


--Continua depois da publicidade--

Atuação profissional

Diplomata brasileiro de carreira, Andreucci Neto serviu entre 2018 e 2016 como chefe do Cerimonial da Presidência da República. De 2011 a 2016 foi chefe da Assessoria Diplomática da Vice-Presidência da República. De 2006 a 2011, Andreucci Neto atuou como ministro-conselheiro na Embaixada do Brasil em Washington, onde chefiou o setor de Assuntos Econômicos, Comércio e Políticas Financeiras.

De 2003 a 2006, foi Secretário de Assuntos Internacionais do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Brasil. Entre 2001 e 2003, desempenhou o cargo de assessor do Subsecretário-Geral de Integração, Economia e Comércio Exterior do Itamaraty. Serviu em Washington, Montevidéu, Nova York, Paris e Santiago.

Equador

Brasil e Equador estabeleceram relações diplomáticas em 1844. Em 1873, o Brasil abriu legação diplomática residente em Quito. Apesar de ser um dos dois únicos países da América do Sul com os quais o Brasil não compartilha fronteira, as relações bilaterais têm sido historicamente densas.

O comércio entre Brasil e Equador, que em 2020 somou US$ 686,6 milhões, está regulado por acordo de complementação econômica entre o Mercosul e Colômbia, Equador e Venezuela, de 2004. O Brasil tem interesse em expandir os entendimentos com esse país para incluir novos temas, como comércio de serviços e compras governamentais.

Entre os principais produtos da pauta de exportações brasileiras para o Equador destacam-se: lâminas de ferro ou aço, fios de cobre, plásticos, ônibus e calçados. As importações brasileiras foram compostas, especialmente, por chumbo refinado, conservas de peixes, chocolates e preparações alimentícias contendo cacau, caramelos, filés de peixe e madeira.

Em 2019, Brasil e Equador celebraram Acordo de Cooperação e Facilitação de Investimentos (ACFI), o primeiro instrumento jurídico em matéria de investimentos assinado pelo país andino após a denúncia, em anos recentes, de todos os seus acordos similares. Estima-se em US$ 129 milhões o estoque de investimentos brasileiros naquele país.

Estima-se em cerca de 2 mil o número de brasileiros no país andino. O setor consular da Embaixada do Brasil em Quito tem jurisdição sobre todo o território equatoriano. O Brasil conta, ainda, com dois consulados honorários no Equador, em Guayaquil e Cuenca.


Publicidade

Redes sociais

107,350FãsCurtir
17,057SeguidoresSeguir
2,121SeguidoresSeguir

Lucas do Rio Verde

POLÍCIA
Pai é detido por ameaçar filhas com facão em Lucas do Rio Verde
janeiro 19, 2022
Lucas do Rio Verde
Confira o calendário esportivo para fevereiro e março de 2022 em Lucas do Rio Verde
janeiro 19, 2022
Lucas do Rio Verde
Janeiro Roxo: Lucas do Rio Verde realiza ações educativas sobre hanseníase nos PSFs
janeiro 19, 2022
AÇÃO INTEGRADA
Trio detido por tráfico de drogas em Lucas do Rio Verde tinha até máquina pra cartão
janeiro 18, 2022