Regularização fundiária de 80 mil famílias pode gerar ‘revolução econômica’ em MT

0

Wellington Fagundes acredita que ações da Comissão de Agricultura também devem ser consorciadas nos esforços para uma melhor logística no Brasil

Ao participar da sessão de instalação da Comissão de Agricultura do Senado e da posse da presidente, senadora Soraya Thronicke (PSL-MS), o senador Wellington Fagundes (PR-MT) defendeu “uma política pública eficiente” de regularização fundiária para o  Brasil. Ele destacou que existem em Mato Grosso cerca de 80 mil famílias de pequenos e médios produtores prontas para produzir. “Com elas – afirmou o republicano – temos condições de promover uma ‘revolução econômica’ em nosso Estado”.

Hoje, no Brasil, são mais de 600 mil propriedades rurais sem documentação. Wellington  lembrou que essas 80 mil famílias sem títulos de propriedade são de agricultores chamados há mais de 30 anos para ocupar a Amazônica. “Além de trazer dignidade e cidadania às famílias, vai gerar muito mais oportunidade de riqueza, de empregos, porque o proprietário, o pequeno e o médio proprietário não têm o documento, não têm acesso ao banco e enfrenta todos os entraves e dificuldades.” – assinalou.

O republicano enfatizou que o problema fundiário de Mato Grosso é um tema comum a todos os estados brasileiros, com ênfase, no entanto, à região Amazônica.  “Em Mato Grosso, nós temos essa felicidade, a meu ver, a oportunidade porque pertencemos a duas regiões. Todo o Estado está na Amazônia Legal mas, também, na região Centro-Oeste” – assinalou.

Fagundes destacou ainda as ações que a CRA pode realizar buscando o incremento da produção nacional consorciada com o desenvolvimento logístico. “Todos sabem disso, o produtor é muito competente da porteira para dentro. Já  da porteira para fora, é papel do Governo”. Ele enfatizou que o maior problema para produtor brasileiro é exatamente a logística de transportes eficiente. “Se é ineficiente, ela acaba perdendo toda a margem de lucro, tanto para importar, como para exportar os seus produtos” – frisou.

MEDICINA VETERINÁRIA – Em seu pronunciamento de saudação à nova presidente da Comissão de Agricultura, o senador Wellington Fagundes pediu espaço para atuação da medicina veterinária nos debates do setor. Membro da Academia Brasileira de Medicina Veterinária, ele enfatizou que é importante que as pessoas saibam que, quando a gente fala da saúde animal, se debate exatamente a  saúde pública. “Não se tem saúde pública verdadeira se a gente não tiver uma alimentação de qualidade” – salientou.

Ele aproveitou para sugerir à nova direção da CRA que busque maior interação com a Frente Parlamentar da Agricultura (FPA). Ele considera importante uma reunião “focada para o Senado” ao menos uma vez por mês. “A Frente Parlamentar, na Câmara, tem já uma tradição e é muito representativa, como nossas atividades aqui são múltiplas, temos muito mais funções para 81 parlamentares, então, acaba a gente ficando assoberbado de tantas comissões para atender” – observou.

Da assessoria

Leia também: Resultado das loterias de hoje (25/09/2020)


Amazonia 03 de Junho